Obras de pavimentação da BR-163/PA avançam durante as madrugadas

DNIT/Divulgação
Com objetivo de cumprir a meta do Governo Federal de concluir a pavimentação da BR-163/PA em 2019,  o 8º Batalhão de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro em parceria com as equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) estão executando serviços no trecho 24h por dia.

Após a conclusão da pavimentação do segmento 1 da BR-163/PA entre os municípios de Moraes de Almeida e Miritituba, as equipes intensificaram as atividades no segmento 2. Nesta nova etapa, serão mais de 12 quilômetros de rodovia implantados entre os municípios paraenses de Moraes Almeida e Novo Progresso.


De acordo com o balanço mais recente do DNIT, atualmente, os dois órgãos trabalham em 10 quilômetros, dois deles já pavimentados e mais 8 quilômetros de subleito estarão preparados ainda nesta semana.


Além das atividades no segmento 2, as obras de pavimentação da BR-163/PA também avançam no segmento 4. Apesar do intenso fluxo de veículos no local, 20 quilômetros já foram pavimentados e meta das equipes é alcançar mais oito quilômetros somente neste segmento. 

A BR-163 é uma das principais rotas de escoamento de grãos do país, ligando as lavouras do Mato Grosso aos portos da região norte, localizados em Miritituba. A expectativa do Governo Federal é de que a pavimentação total da rodovia seja concluída até o fim de 2019. 

Privatização da BR-163
O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou no fim de janeiro que após a conclusão da pavimentação da BR-163 no norte do país, a rodovia federal será concedida a iniciativa privada.

LEIA: Governo Bolsonaro asfaltará BR-163 até Miritituba e depois concederá rodovia

Confira as obras no segmento 2:
TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

2 Comentários

  1. A título de curiosidade: quando o glorioso Exército Brasileiro entregar a obra devidamente concluída, gostaria que alguém, dentre os milhões de detratores do governo federal,apresentasse os custos da obra apresentado pelas empreiteiras e a conta do custo final apresentada pelo Exército.

    ResponderExcluir
  2. Bolsonaro está botando o pais na linha serta! Agora não tem roubalheira, e ainda temos o exercito a nosso favor.
    As custas pode verificar depois que é 1x3 ou seja um terço do valor cobrado por estas empreiteiras do diabo.
    Empresas que só pensam em roubar do governo o que podem.
    Onde eu aperto 17 novamente.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.