Estrela das Estradas


Casas Scania

IVECO A gente nao para

Tabela FIPE: Quanto custa o caminhão bitruck mais potente do Brasil?

DAF/Divulgação

Tabela FIPE revela em detalhes o preço do Novo DAF CF 410 8x2, semipesado de origem holandesa que carrega consigo o título de bitruck mais potente do Brasil

Apresentada ao mercado brasileiro em março, a nova geração de caminhões DAF CF, chegou ao Brasil trazendo uma série de novidades que vão muito além das mudanças de design. Além de substituírem a tradicional linha CF 85, os novos modelos chegaram ao país com a importante missão de marcar a estreia montadora holandesa no disputado segmento de semipesados.

“A DAF Caminhões tem no seu DNA um padrão superior de qualidade, conforto e eficiência. Quando começamos a pensar o projeto do modelo rígido no Brasil, tínhamos certeza de que este novo caminhão deveria elevar o padrão desta categoria, oferecendo ao cliente uma nova experiência neste segmento. O resultado é exatamente o que planejamos e estamos muito felizes com o produto que o cliente brasileiro terá disponível para as suas operações de transporte rodoviário e distribuição”, afirma Jarno Broeze, Diretor de Desenvolvimento de Produto da DAF Caminhões Brasil.

Equipado com motor PACCAR MX11, de 10,8 litros e seis cilindros, potência de 410 cv e torque de 2.100 Nm em 900 rpm, combinado com transmissão automatizada ZF TraXon de 12 velocidades, o inédito DAF CF 410 8x2, estreou no Brasil carregando consigo o título de caminhão semipesado mais potente do país.

Destinado ao atendimento de operações com baú, sider, contêiner, prancha, entre outros tipos de implementos, o semipesado holandês conta com segundo eixo direcional de fábrica, entre-eixos de 6.400 mm, o maior da categoria, suspensão pneumática com regulagem de altura, modelo Full Air, e duas opções de cabine, a Sleeper e a Space, sendo essa última a maior da categoria, com 2,23 de altura interna. 

Nos quesitos segurança e tecnologia, o novo semipesado se destaca pela presença de Assistente de Performance do Condutor, Controle de Cruzeiro Adaptativo, Aviso de Colisão Frontal, Sistema de Frenagem de Emergência, Alerta de Saída de Faixa e Controle de Estabilidade.

“O Novo CF traz muitos itens de segurança do nosso carro-chefe, o Novo XF. A soma destes dispositivos, com o trabalho excepcional do conjunto mecânico, faz do Novo CF um caminhão muito econômico, robusto, seguro e confortável. Este é um conjunto de qualidades inédito nesta categoria, elevando o patamar do segmento de rígidos no Brasil”, finaliza Broeze.

Mas afinal, quanto custa o bitruck mais potente do Brasil? 
Sem dúvidas esse foi um dos principais questionamentos feitos desde a apresentação do modelo. Agora, após o mistério feito pela montadora e inúmeras especulações, a Tabela FIPE, principal referência no mercado nacional de veículos, revelou o preço da versão zero quilômetro do novo DAF CF 410 8x2:

Reprodução/Tabela FIPE

Vale lembrar que o valor informado acima pode variar de estado para estado ou conforme condições de negociação/pagamento.


Postar um comentário

4 Comentários

  1. provavelmente desse preço nao val vender quase nada fora da realidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Capaz de vender muito bem. Empresário brasileiro paga e, consequentemente, incentiva a prática desses valores. Quem tá ferrado é autônomo...

      Excluir
  2. Com o diesel no preço que está sem chance , detalhe o frete no Brasil e muito bom mas só para os grandes , nós os autônomos somos explorados aí fica longe da realidade para quem tem apenas um caminhão ,vou continuar com o meu VM 270 ano 2012 aí daqui há 3 anos vendo é compro um 2015 a nossa realidade infelizmente e está ,o governo não cria regras para acabar com o intermediário ,aí ficamos a mercê da sorte , infelizmente este e o Brasil de muita riqueza ,mas pouco distribuída . INFELIZMENTE .

    ResponderExcluir
  3. Show esse caminhão. Porém esse preço está fora da realidade. Custa quase 200.000,00 mais que um Atego 3030 8x2. Motorista autônomo e também os que estão empregados com carteira assinada em nosso pais é uma raça em extinção. Poucos ainda estão resistindo. Trabalhar pra trocar figurinha não dá. Ninguém mais quer se sujeitar ficar vários dias fora de casa a troco de nada. E o coitado do autônomo então nem se fala. O que recebe do frete mal dá pra se alimentar. O lucro está ficando todo no diesel e nos pedágios. E a manutenção do bruto só por Deus. Amo a estrada, más infelizmente fui obrigado a deixar a profissão. Autônomo e transportadora pequena vão deixar de existir. E as grandes se não mudarem sua política bem como o governo começar a ver o lado do caminhoneiro, em um espaço curto de tempo o Brasil vai ficar pior que a Europa e Estados Unidos "sem motorista pra fazer as entregas".

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.