Fabricantes de caminhões recebem multa bilionária da União Europeia

A União Europeia (UE) anunciou nessa terça-feira (19) a aplicação da maior multa a cinco fabricantes de caminhões, pelo crime de formação de cartel, que resultou na fixação dos preços dos veículos e atrasos na introdução de novas tecnologias para reduzir emissões durante 14 anos. 

LEIA: União Europeia investiga cartel de caminhões

As investigações apontaram que a DAF, Daimler, Iveco, MAN, Scania e Volvo-Renault faziam parte do cartel que atuou de 1997 a 2011. Segundo informações os fabricantes se reuniam frequentemente para discutir e gerir as ações do cartel, muitas vezes durante feiras e outros eventos do setor, além de ligações telefônicas e trocas de Email's entre os próprios envolvidos. 
O valor total das multas aplicadas chega à € 2,93 bilhões, mais que o dobro da última multa aplicada pelo mesmo crime em 2012, quando sete empresas foram multadas em € 1,47 bilhão por conspirar para manter os preços de televisores e monitores de computador em alta. 
A Daimler recebeu a maior multa, cerca de € 1 bilhão, seguida pela DAF com pena de € 753 milhões, Volvo no valor de € 670 milhões e Iveco em torno de € 500 milhões. As quatro montadoras admitiram participação no esquema, em troca de uma redução de 10% nos valores das multas aplicadas. Já a MAN subsidiária do Grupo Volkswagen não foi multada, uma vez que revelou à União Europeia a existência do cartel e das práticas adotadas durante os 14 anos de operação do esquema, evitando assim uma multa de € 1,2 bilhões.
A Scania, outra subsidiária do Grupo Volkswagen, não participou da decisão anunciada hoje, porém a empresa segue sendo investigada pela comissão da União Européia. Por meio de um comunicado, a montadora sueca disse que que cooperou plenamente com a Comissão, mas não concordou com um acordo, por não aceitarem acusações da UE. 
Logo após o anúncio a Daimler também se pronunciou, "A empresa tem reforçado os seus controles internos e intensificou a formação regular e abrangente dos empregados em relação à legislação antitruste e direito da concorrência", disse em um comunicado.
Apesar de admitirem a participação no cartel, as montadoras que foram penalizadas pela União Europeia, podem recorrer na justiça, principalmente com relação aos valores aplicados em cada uma das multas. 
Além das multas, as montadoras correm o risco de enfrentarem diversas ações na Justiça, movidas principalmente por empresas de transporte que foram expostas a preços inflacionados por mais de uma década. Existem cerca de 600 mil transportadores na Europa, a maior parte são pequenas empresas.

TEXTO: Lucas Duarte
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. fez bem a inglaterra sair dessa uniao europeia o que e que um monte de engravatado enten de de caminhao alguem pediu a opiniao de algum caminhoineiro

    ResponderExcluir