Fretebras Superior

PRF recomenda que motoristas denunciem caminhões com traseira alta em circulação

PRF/Divulgação

Em vídeo oficial, corporação explica os parâmetros de fiscalização, os riscos da modificação e orienta como realizar denúncias para retirar de circulação os caminhões irregulares

Google News
A circulação de caminhões com suspensão alterada segue sendo um dos assuntos mais discutidos no transporte rodoviário de cargas brasileiro. Nesta semana, a polêmica ganhou ainda mais repercussão após a divulgação de uma recomendação da Polícia Rodoviária Federal (PRF): Denunciar os caminhões com traseira elevada que se encontram em circulação.

A informação consta em um vídeo divulgado pela Superintendência da Polícia Rodoviária Federal no Ceará por meio do Núcleo de Comunicação Social nesta terça-feira, 14 de fevereiro. O conteúdo faz parte de uma ação batizada de  "@PRF_CE EXPLICA", que visa esclarecer os principais pontos do Código de Trânsito (CTB), bem como os parâmetros de fiscalização adotados pela corporação.

Na publicação, a PRF explica inicialmente o que é um caminhão com suspensão alterada, popularmente conhecido como "arqueado". Febre nas estradas brasileiras no decorrer dos últimos anos, especialmente entre os caminhoneiros mais jovens, a modificação consiste no aumento do número de molas, colocação de calços ou prolongamento de suportes e bolsas de ar em caminhões que contam com suspensão pneumática.


Em seguida, o conteúdo explicativo da corporação destaca como é feita a fiscalização dos caminhões com suspensão elevada, tendo como principal parâmetro a Resolução nº 479 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN). De acordo com a publicação, os veículos de carga com PBT (Peso Bruto Total) acima de 3.500 kg poderão ter a traseira elevada em apenas 2 graus, o que representa uma diferença de 3,5 centímetros (35 mm) de altura entre dois pontos da longarina do chassi, separados por uma distância de um metro de comprimento. Além disso, a modificação deve constar na documentação do veículo.


O vídeo divulgado pela Polícia Rodoviária Federal no Ceará também ressalta os riscos da modificação para segurança viária. Destaque para o risco do chamado "efeito guilhotina" em uma eventual colisão traseira, resultando em um acidente fatal.


Ao final da publicação, a PRF recomenda que os usuários das rodovias federais em todo o país que se depararem com caminhões com traseira elevada, realizem uma denúncia através do telefone 191. "A equipe mais próxima vai abordar esse caminhão e tomará todas as medidas cabíveis necessárias para retirar esse caminhão de circulação", explica. 

Confira na íntegra o vídeo da PRF:


Postar um comentário

0 Comentários