Contratação de motoristas no transporte rodoviário de passageiros cresce 30%

Gontijo/Comil

Gontijo é uma das empresas que anunciou mais de 1.000 vagas para motoristas em dois estados brasileiros; segmento exige alta qualificação de profissionais

Impactado diretamente pela pandemia de Covid-19 (Coronavírus), o transporte rodoviário de passageiros no Brasil começa a apresentar sinais de retomada e recuperação das atividades, especialmente no segmento de turismo. Prova disso é o crescimento expressivo no número de contratações de profissionais no segmento. 

De acordo os dados oficiais da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (ABRATI), somente no mês de dezembro, há há vagas abertas em todas as áreas do setor de transporte rodoviário regular de passageiros, desde cientistas de dados até analistas de conteúdo de redes sociais. No entanto, os motoristas seguem como os profissionais mais procurados e lideram a lista de contratações no período.

A Gontijo, tradicional empresa do setor, é uma das empresas que vem puxando a contratação de novos motoristas na reta final de 2021. Para atender a crescente demanda do período de verão, a empresa anunciou a contratação de 600 motoristas no estado de Minas Gerais e mais 500 no estado de São Paulo.

Ainda segundo a pesquisa da ABRATI, Desde setembro de 2021, as efetivações vêm subindo e já alcançam a marca dos 30% entre agosto e dezembro deste ano, entre às associadas que atuam na ampla maioria dos mais de 97 mil pares de origem x destinos de linhas regulares nacionais. "Se a procura por viagens seguir nesse ritmo crescente como se espera, este percentual pode subir para 35% até janeiro de 2022 quando começa a temporada de férias", destaca Letícia Pineschi, conselheira e porta-voz da entidade.


Hoje o transporte rodoviário regular emprega cerca de 78 mil motoristas. Entretanto, contratar profissionais com a especialização necessária tem se tornado cada vez mais um grande desafio para as empresas, especialmente quando se trata de motoristas preparados para conduzir os diversos tipos de equipamentos disponíveis nas frotas nacionais, e aptos a atenderem os altos níveis de perícia e padrões de segurança.

Atualmente, os ganhos mensais de um condutor rodoviário interestadual são variados por regiões do País, capitais e ligações entre cidades do interior. Porém, a média de remuneração de um motorista rodoviário entre eixos de capitais pode chegar a R﹩3.700 quando contabilizadas gratificações, adicional de serviço noturno, horas extras e benefícios oferecidas à categoria, como plano de saúde, odontológico, seguro de vida, entre outros.

Além disso, as empresas regulares do setor rodoviário oferecem aos motoristas inúmeras vantagens. Dentre elas, destacam-se o descanso assegurado em pontos de apoio e paradas adequadas, as jornadas sadias, e os alojamentos limpos e com todos os protocolos de segurança assegurados. A contratação também obrigatoriamente se dá com registro em carteira, diferente de outros setores de transporte de passageiros que admitem freelancers ou profissionais que ganham por viagem e dormem até mesmo dentro de bagageiros, como pode ser observado em inúmeras denúncias sobre transporte clandestino. ao nível de exigência quanto a perícia para garantir o padrão de segurança para passageiros e todos que estão nas rodovias.


Exigências para se tornar um motorista rodoviário
A ABRATI lembra que para ser tornar um motorista rodoviário, o profissional deverá passar por uma seleção rigorosa que inclui diversas etapas e exigências, como por exemplo, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria D, curso especializado para condutores de veículos de coletivo de passageiros, oferecido pelo Serviço Social do Transporte (SEST) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) em todo o Brasil, não cometimento de infrações graves e gravíssimas ou reindicidência em infrações médias nos últimos 12 meses e não cumprimento pena de suspensão do direito de dirigir.

A entidade ressalta ainda que o curso tem a duração mínima de 50 horas e os conteúdos aliam teoria e prática, envolvendo temas como visão sistêmica do setor, condução segura e econômica, transporte de pessoas com deficiência e atendimento eficaz ao cliente.


Além disso, a cada cinco anos, os motoristas são obrigados a manter seus cursos atualizados. Internamente, as empresas regulares do setor rodoviário também realizam constantes capacitações das áreas técnicas e interpessoais, testes toxicológicos periódicos e randômicos. Muitas delas ainda investem em medicina do sono, um programa que visa melhorar a qualidade do sono e a vigília dos motoristas.

Segundo Letícia Pineschi, este, sem dúvida, é dos grandes diferenciais do sistema regular do setor rodoviário para garantir a segurança nas viagens, tendo reduzido em mais de 95% os acidentes ocorridos em decorrência de sonolência nas estradas.


Postar um comentário

7 Comentários

  1. pena que a grande maioria dessas vagas é temporária , só para dezembro e no máximo janeiro . e 3700 de salário ? sem chance . interior de sp paga em média 2400 .

    ResponderExcluir
  2. Quando tem hum proficinal de conhecimento capacitado não dão o valor au motorista rodoviario

    ResponderExcluir
  3. Exigências altíssima,e o salário muito baixo 😔

    ResponderExcluir
  4. As vezes só e pra final de ano em fevereiro manda todos embora

    ResponderExcluir
  5. 2022 vou tentar entrar no grupo Gontijo, quem consegue passar por lá é como fazer Faculdade de motorista, falou que trabalhou na Gontijo a conversa é outro nível . Nível de Treinamento dela é Top !!!

    ResponderExcluir
  6. Eu vou tentar entrar na empresa em breve espero ter uma chance pois eu sou motorista urbano e tenho pouca esperiençia com rodoviário mas já trabalhei na princesa do Norte aqui em Mogi das cruzes no transporte do litoral que ela faz no rodoviário


    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.