Falta de motoristas no Reino Unido ameaça entrega de bebidas para festas de fim de ano

Volvo/Divulgação

Em carta enviada ao governo britânico, representante dos fabricantes de bebidas alerta para atrasos nas entregas, escassez de produtos nos supermercados e recomenda três medidas para suprir falta de motoristas

A escassez de combustíveis, alimentos em supermercados e matérias primas na indústria nos últimos meses, colocou em evidência um dos principais desafios econômicos do Reino Unido, a crescente falta de caminhoneiros. Dados recentes de entidades ligadas ao transporte, apontam para a falta de cerca de 100.000 motoristas na região.


Diante do agravamento da situação e da grande repercussão mundial da escassez de caminhoneiros, o governo inglês anunciou no fim de setembro, um amplo pacote de medidas e investimentos para atrair novos motoristas de caminhões. Destaque para a concessão de 5.000 vistos para caminhoneiros de outros países e investimento de 10 milhões de euros na construção de novas áreas para treinamento e formação de motoristas, além do envio de cartas de incentivo aos profissionais habilitados, mas que não exercem a função atualmente.


Agora, dois meses após o anúncio do governo britânico, as medidas ainda se mostram insuficientes para contornarem e reduzirem os impactos econômicos e logísticos. Prova disso, é o alerta dado pela Wine and Spirit Trade Association (WSTA) nesta semana. Em carta oficial divulgada na última quarta-feira, 24 de novembro, e enviada ao Secretário de Transporte Inglês, a entidade que representa mais de 300 produtores, comerciantes e exportadores de vinhos e bebidas festivas, ressaltou o alto risco de escassez de bebidas nas festas de fim ano, devido ao significativo aumento de custos, atrasos nas entregas e falta de profissionais suficientes para atenderem todas as operações de distribuição.


De acordo com a entidade, além de um aumento de 7% nos custos operacionais, não há mais previsibilidade nos horários de coletas e entregas. Já o atendimento dos pedidos que acontecia no máximo em dois ou três dias, necessitam agora de no mínimo 15 dias.

"Já estamos observando grandes atrasos nos prazos de entrega de vinhos e bebidas comemorativas, o que está aumentando os custos e limitando a variedade de produtos disponíveis para os consumidores do Reino Unido. O governo precisa fazer tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que as empresas britânicas não operem com uma das mãos amarrada nas costas durante a época festiva e depois", destaca Miles Beale, diretor executivo da Wine and Spirit Trade Association,


No documento enviado ao governo britânico, a WSTA ainda sugere três importantes medidas que devem ser tomadas para reduzir a crescente e expressiva de motoristas. Destaque para aumento de um ano na validade de vistos temporários concedidos a caminhoneiros estrangeiros, aprimoramento da cadeia logística (trens, barcos, navios e caminhões) afim de reduzir as distâncias das rotas e aprimorar os processos de concessão de habilitações para novos motoristas.

"Há uma preocupação crescente entre nossos membros de que, a menos que uma ação urgente seja tomada, cairemos ainda mais no caos de entregas. 49 empresas associadas colocaram seus nomes em nossa carta pedindo ao Secretário de Transporte para estender a validade de vistos temporários e melhorar as rotas de transporte.", conclui Beale.


Postar um comentário

1 Comentários

  1. Boa tarde. Como fazer para se candidatar a uma vaga no reino unido?

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.