Para combater a falta de motoristas, transportadoras inglesas aumentam salários em até 35%

MAN Truck & Bus/Divulgação

Somente na última semana, três grandes empresas dos setores de logística e alimentos anunciaram reajustes salariais; Incrementos tem como principal objetivo evitar um agravamento ainda maior no déficit de caminhoneiros

Não há dúvidas de que a crescente falta de motoristas no Reino Unido vem acarretando severos e significativos impactos na economia e na cadeia produtiva da região. Prova disso, são os recentes registros de escassez de combustíveis, alimentos em supermercados e matérias primas na indústria. Dados recentes de entidades ligadas ao transporte, apontam para a falta de cerca de 100.000 motoristas em todo o Reino Unido.


Diante desta dura realidade e com o objetivo de evitar um agravamento ainda maior no déficit de caminhoneiros, transportadoras inglesas vêm anunciando significativos aumentos salariais para motoristas. Somente na última semana, três grandes operadoras logísticas anunciaram reajustes que variam de 6% a 35%. A informação é confirmada pelo sindicato de trabalhadores ingleses, Unite the Union.

De acordo com a entidade, a primeira empresa a garantir um aumento salarial para motoristas de caminhão foi a DHL, um dos maiores operadores logísticos. Inicialmente, cerca de 200 caminhoneiros que atuam na região de Dartford terão os salários elevados em 6,2%, o que garante um acréscimo anual de 2.200 euros.


Nesta mesma linha, a GXO, gigante do segmento de logística de bebidas no Reino Unido, também anunciou um incremento salarial de 23% para motoristas de caminhão. O acréscimo salarial será mantido por 15 meses, mais precisamente até 1º de janeiro de 2023.

Já o aumento salarial mais significativo para caminhoneiros ingleses será garantido pela Heinz, multinacional referência na indústria alimentícia. Também na última semana, a empresa anunciou reajustes nos salários de motoristas que variam de 26% a 36%. 

Apesar dos percentuais significativos, para a Unite the Union o pagamento de salários melhores não é a única solução para a crescente falta de motoristas. Para a entidade também é fundamental um investimento na qualidade de vida dos profissionais, como por exemplo, através de menores jornadas de trabalho, respeito nos locais de carga e descarga, pontos de parada e descanso com infraestrutura completa, segura e adequada, além de punições mais severas para empresas que insistem em não garantir os direitos básicos dos profissionais.


Governo Britânico anuncia medidas para atrair motoristas
Com o objetivo de evitar um colapso econômico no Reino Unido, o Governo Britânico anunciou na última semana de setembro, um amplo pacote de medidas e investimentos para atrair novos motoristas de caminhões para região. Destaque para a concessão de 5.000 vistos para caminhoneiros de outros países e investimento de 10 milhões de euros na construção de novas áreas para treinamento e formação de motoristas, além do envio de cartas de incentivo aos profissionais habilitados, mas que não exercem a função atualmente.
 


Postar um comentário

1 Comentários

  1. A situação no Brasil vai ficar igual nos caminhoneiros precisamos ser valorizados e respeitados.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.