IVECO A gente nao para

Guerra retornará ao mercado brasileiro com Rodotrem Graneleiro Série Origens

Divulgação

Série Origens contará com 300 unidades e terá foco total no atendimento das operações de transporte ligadas ao agronegócio

Cumprindo com o prometido no final do primeiro semestre deste ano, o retorno da Guerra ao mercado brasileiro de implementos rodoviários está confirmado para o mês de setembro. A retomada das atividades comerciais se dará por meio do lançamento do Rodotrem Graneleiro Série Origens.


De acordo com a Rodofort, atual proprietária da consagrada implementadora gaúcha, a escolha do nome da série celebra a volta de uma das mais tracionais empresas do setor produtor de implementos rodoviários. 

“Estamos sinalizando nosso compromisso com o passado da marca ao mesmo tempo em que projetamos seu futuro”, afirma Alves Pereira, diretor executivo da Rodofort. “O antigo cliente da Guerra ficou órfão da marca e a idéia de batizar a primeira ‘fornada’ de produtos é para resgatar essa preferência”, completa.

Inicialmente a Série Origens se concentrará no segmento de rodotrens graneleiros com Peso Bruto Total Combinado (PBTC) de 74 toneladas, voltados principalmente ao transporte de grãos, carga ensacada entre outras aplicações que atendam o transporte de agroprodutos. A escolha do modelo se deu em virtude do bom desempenho do agronegócio em 2021.  Ainda segundo a fabricante, 300 unidades farão parte da Série Origens


Atualmente uma equipe de 100 profissionais, em sua grande maioria contratados na própria Serra Gaúcha, trabalham na reativação da Guerra. O bom estado do maquinário da Guerra, mesmo há quatro anos parado, surpreendeu a equipe. “A qualidade do serviço da equipe que fez a manutenção da empresa foi um dos fatores que fez a diferença e nos permitiu manter nosso cronograma de trabalho”, diz o executivo.

A Guerra e a Rodort atuarão de maneira conjunta no mercado brasileiro. A parceria estratégica prevê a produção de semirreboques basculante, tanque e graneleiro na fábrica de Caxias do Sul (RS). Já o parque industrial de Sumaré (SP), será responsável pela produção de modelos sider, baú, porta-contêiner e florestal.



Postar um comentário

0 Comentários