Scania entrega primeiro caminhão movido a gás da região Sul do Brasil

Scania/Divulgação
Reforçando o compromisso de liderar a transição para um setor de transporte mais sustentável, a Scania entregou, nesta quarta-feira (17), o primeiro caminhão movido a gás natural veicular (GNV) e/ou biometano da região Sul do Brasil.

Adquirido pelo Grupo Charrua, o R 410 6x2 será empregado no transporte de gás natural veicular pela Charrua Gás para atender clientes do Rio Grande do Sul, como indústrias e postos de combustível. O modelo foi vendido e entregue pela Casa Scania Brasdiesel (RS), unidade que também será responsável pelo suporte operacional e da manutenção do pesado inédito.

“O objetivo das empresas é a transição para um sistema de transporte mais sustentável. A Scania vem liderando esta transformação. Para nós, não existe apenas um modelo sustentável e cada país adotará as tecnologias que melhor se encaixam em sua realidade. Para o Brasil, o ‘Aqui e Agora’ é o caminhão movido a GNV e/ou biometano”, diz Roberto Barral, vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil. “A Scania está empenhada em apoiar seus clientes com soluções rentáveis que contribuam com a sustentabilidade nos âmbitos econômico, ambiental e social.”

“A parceria com a Scania Brasdiesel começou em 2010 com a compra de dois modelos, G 400 e P 310. Os caminhões Scania são muito bons, de excelente rendimento. Depois que a Scania lançou o modelo a gás, em 2018, a equipe da concessionária nos apresentou a solução”, explica Flavio Aluísio Rudiger, diretor de Logística e Transportes do Grupo Charrua.


“A parceria entre o Grupo Charrua e a Brasdiesel vem de muitos anos. É um cliente que está sempre se atualizando e saindo na frente em seus negócios. A vantagem do motor a gás, de imediato, despertou o interesse”, afirma João Elton Heinen, gerente de Vendas da Brasdiesel Lajeado, filial que atende diretamente o Grupo Charrua. “Essa tecnologia mais sustentável é uma nova solução, e vem ao encontro dos interesses da Charrua. Nos últimos meses, tivemos o privilégio de acompanhar os investimentos que a Scania vem fazendo em inovações para o transportador. É uma grande satisfação entregar o primeiro caminhão a GNV e/ou biometano do Rio Grande do Sul para um cliente da Brasdiesel.”

“É um prazer enorme ser o primeiro cliente do Sul a receber essa nova tecnologia da Scania, tanto pela economia como pela questão ambiental, com a redução das emissões de CO2. O fato da distribuidora do gás ser a primeira empresa do Grupo Charrua, mostra que somos pioneiros no que fazemos. Acredito que depois virão mais caminhões”, salienta Rudiger.  

Com a entrega desta quarta-feira, a Scania chega a marca de 23 modelos a gás comercializados no Brasil, sendo 18 para a PepsiCo. 


Sobre o caminhão
Desenvolvido para operações de médias e longas distâncias, o inédito caminhão pesado Scania movido a gás conta com motores de 12,7 litros, 6 cilindros, 410 cavalos de potência e Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis), construídos para ser 100% a gás e biometano, ou usando uma mistura de ambos.

Por não se tratar de uma versão a diesel convertida, o novo Scania conta com garantia de fábrica e tecnologia confiável que garante um desempenho consistente e força semelhante ao caminhão a diesel. Além disso, o modelo é 20% mais silencioso e garante uma redução de até 15% nas emissões de CO2 quando abastecido com GNV e de até 90% com biometano. Já a autonomia é de até 550 quilômetros.

LEIA: Conheça 5 detalhes que tornam os caminhões a gás Scania mais seguros que os modelos a diesel

Concessionárias preparadas
A chegada dos caminhões a gás no mercado brasileiro não se resume apenas a produção e comercialização dos modelos. Segundo a Scania, a rede de concessionárias Scania está sendo preparada para dar todo o apoio aos clientes.

Destaque para a introdução de boxes exclusivos, ferramentas e check-list especiais, que serão implementados ao longo dos próximos meses. De acordo com a marca são alterações que não demandam grandes mudanças nas atuais e modernas estruturas de atendimento ao cliente.
Scania/Divulgação
TEXTO: Lucas Duarte

Postar um comentário

0 Comentários