Mercado de caminhões recua 15% em março

Varella Scania
Impactado diretamente pela pandemia de COVID-19 (Coronavírus), o mercado brasileiro de caminhões encerrou o primeiro trimestre de 2020 apresentando recuo em todos os comparativos com o ano anterior, segundo relatório divulgado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

De acordo com os dados da entidade, no primeiro trimestre do ano foram emplacados 20.175 caminhões em todo país, queda de 5,62% em relação ao primeiro trimestre de 2019 quando foram licenciados 21.376 caminhões.

Somente no mês de março, 6.483 caminhões foram licenciados em todo o país, queda de apenas 0,37% em relação a fevereiro, quando foram emplacados 6.507 unidades. Entretanto, em relação a março de 2019, quando foram licenciados 7.628 caminhões, o segmento registrou no terceiro mês deste ano um recuo de 15,01%.

Para o Presidente da FENABRAVE, Alarico Assumpção Júnior, o mês de março foi impactado, drasticamente, em função da pandemia do Coronavírus. “Nosso Setor, que representa 4,5% do PIB e gera, diretamente, mais de 315 mil empregos, por meio de 7,3 mil concessionárias, está, praticamente, paralisado, em função dos decretos de quarentena. Apenas algumas concessionárias estão com as oficinas abertas, para atender caminhões, ambulâncias e outros veículos essenciais para serviços de primeira necessidade, como os ligados à saúde e alimentação”, comentou.

Segundo Assumpção Júnior, ainda não é possível revisar as projeções do Setor para o ano de 2020, em função da falta de previsibilidade de retorno do comércio e dos reais impactos ao final do período de quarentena. “Sabemos que a prioridade é a saúde da população, mas, a continuar como está, em um mês de estagnação, cerca de 20% dos empregos do nosso Setor podem ser comprometidos, pois os Concessionários estão sem receita e, ao contrário, têm despesas fixas. Por enquanto, as Concessionárias estão segurando a situação como podem, antecipando férias, utilizando banco de horas, mas, chegará um momento em que isso não se sustentará”, revela o Presidente da FENABRAVE.


Pesados seguem em destaque 
Apesar do recuo registrado no primeiro trimestre de 2020, o segmento de pesados segue liderando com folga o mercado brasileiro de caminhões. Segundo a Fenabrave, o segmento acumulou uma participação total de 49,81% no período.

Mercedes-Benz na liderança
O mercado brasileiro de caminhões encerrou o primeiro trimestre sendo liderado pela Mercedes-Benz com um total de 6.984 caminhões emplacados e participação de 34,62%. A Volkswagen garantiu o segundo lugar no ranking com 4.934 caminhões licenciados e participação de 24,46%. Na terceira posição aparece a Volvo com 3.927 caminhões emplacados e participação de 19,46%. Já a Scania garantiu o quarto lugar do mercado nacional com um total de 1.892 unidades licenciadas e participação de 9,38%. Em quinto lugar, a DAF registrou no primeiro trimestre 885 caminhões emplacados, número que garantiu uma participação de 4,39%. E por fim, a IVECO garantiu a sexta colocação com um total de 815 caminhões emplacados e participação de 4,04% no primeiro trimestre de 2020.

10 caminhões mais vendidos no 1º trimestre:
1º - Volvo FH 540 - 1.395 unidades
2º - Volvo FH 460 - 1.087 unidades
3º - VW Delivery 11.180 - 1.031 unidades
4º - DAF XF105 - 842 unidades
5º - VW Constellation 24.480 - 791 unidades
6º - VW Delivery 9.170 - 731 unidades
7º - Scania R 450 - 671 unidades
8º - MB Atego 1719 - 635 unidades
9º - MB Axor 3344 - 627 unidades
10º - MB Accelo 815 - 606 unidades

Confira na íntegra os números da Fenabrave: CLIQUE AQUI

TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários