Bolsonaro afirma que não prevê estender auxílio emergencial para caminhoneiros e outras categorias

O Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, afirmou nesta segunda-feira, 27 de abril, que não está previsto a extensão do auxílio emergencial de R$ 600,00, a novas categorias, como por exemplo, profissionais ligados ao transporte, incluindo caminhoneiros autônomos. A declaração foi dada na saída de uma reunião no Palácio da Alvorada.

“São três parcelas de R$ 600. Não está prevista a ampliação, até por que cada parcela está na casa, um pouco acima, dos R$ 30 bilhões. Não está previsto isso daí (ampliar o número de categorias atendias), se houver necessidade, e nos convencerem, e se tiver recurso para tal a gente estuda se defere ou não”, destacou Bolsonaro.


Na última quarta-feira, 22 de abril, senadores aprovaram por unanimidade o Projeto de Lei 873/2020. De autoria senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a proposta trata justamente da extensão do benefício emergencial para categorias de trabalhadores ainda não contempladas e que tenham perdido renda em função da pandemia de COVID-19 (Coronavírus).

LEIA: Senadores aprovam extensão do auxílio emergencial de R$ 600 para caminhoneiros

Com a aprovação do PL no Congresso Nacional, Bolsonaro tem até o próximo dia 8 de abril para sancionar ou vetar a ampliação do benefício. Entretanto, na declaração desta segunda (27), o presidente não deixou claro se pretende vetar parcial ou integralmente o PL 873/2020.

"Se houver necessidade, se nos convencerem e se tiver recursos para tal, a gente estuda e defere ou não", concluiu Bolsonaro.

Confira na íntegra a declaração de Bolsonaro:
TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários