Scania produzirá caminhões a gás no Brasil a partir de 2020

Rodrigo Machado
Confirmando mais uma vez a liderança na transição para um setor de transporte sustentável, a Scania iniciará a produção de caminhões movidos a gás no Brasil a partir de 2020. A novidade é fruto de uma importante parceria com a ZEG, empresa especializada na geração de energia renovável.

Segundo a marca, os novos modelos movidos a biometano, um biocombustível gasoso obtido a partir do processamento do biogás, serão produzidos já no primeiro trimestre do próximo ano em São Bernardo do Campo, São Paulo. A novidade vai de encontro com a estratégia global da marca de reduzir a produção de caminhões movidos a combustíveis fósseis. 

"Temos a percepção de que, como uma empresa do setor de transporte, somos parte do problema da emissão de gases que contribuem para o efeito estufa", disse Christopher Podgorski, presidente da Scania no Brasil.. "Então, queremos também ser parte da solução." Hoje, praticamente todos os caminhões vendidos no Brasil são movidos a diesel.

Somente em 2018, a Scania foi responsável pela venda de 4.540 veículos comerciais movidos a combustíveis alternativos, o equivalente a 4,5% de todas as vendas da marca no mundo.

A parceria entre a montadora sueca e a ZEG, garantirá aos compradores, a opção de utilizar postos de abastecimento instalados pela ZEG. Caso estes clientes fechem um contrato com a empresa de energia, um posto será instalado em local acordado com o comprador, para o fornecimento de GasBio, nome do combustível produzido pela companhia.


Segundo o presidente da ZEG, Daniel Rossi, três grandes frotistas já conversam sobre a possibilidade de utilização de caminhões Scania movidos a biometano. Segundo o executivo, as frotas ultrapassam a marca de 300 veículos. 

De acordo com ambas as empresas, os novos caminhões terão um valor 30% superior aos tradicionais modelos movidos a diesel. Entretanto, o preço mais alto será compensado após dois anos de compra. "Depois desse período, é só ganho", destaca Podgorski.

Ainda segundo o executivo da montadora sueca, os caminhões movidos a biometano são viáveis do ponto de vista industrial, de mercado e economicamente. "Além disso, a utilização de um combustível que usa fontes renováveis em um caminhão significa a redução de 90% da emissão de gases que contribuem para o efeito estufa", disse.

A produção de caminhões a gás no Brasil é resultado de um investimento de R$ 21 milhões, valor que faz parte de um aporte total de R$ 2,6 bilhões que vem sendo aplicado pela Scania nas operações brasileiras desde 2017.

TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários