Governo de Bolsonaro quer criar ‘Uber’ no transporte de carga para eliminar atravessadores

A equipe do presidente Jair Bolsonaro está criando ferramentas de tecnologia da informação para tentar desatar o nó no transporte rodoviário de cargas. A ideia é usar aplicativos semelhantes ao Uber para conectar empresas e caminhoneiros. “Hoje, o embarcador paga caro pelo frete e o caminhoneiro recebe pouco”, diz o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. “Então, tem um problema no meio do caminho, os atravessadores, que vamos tentar eliminar.” 
Independente da nova ferramenta, o governo Bolsonaro manterá uma tabela com preços mínimos do frete. Como diz a lei aprovada pelo Congresso no ano passado, serão valores suficientes para cobrir os gastos operacionais dos caminhoneiros, principalmente com óleo diesel e pedágios.
As propostas serão apresentadas a caminhoneiros e empresas na próxima semana. “Não temos tempo a perder”, destacou Freitas. “Estamos otimistas, porque está todo mundo disposto a discutir a tabela, incluindo o setor produtivo.” Segundo ele, há três ou quatro soluções tecnológicas que serão apresentadas.
As empresas são contra o tabelamento do frete e entraram com ações no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo inconstitucionalidade da medida. Há três ações sob a relatoria do ministro Luiz Fux, sem data para julgamento. As empresas reclamam de prejuízos com o aumento do custo do transporte e caminhoneiros ameaçam nova greve se o tabelamento for revogado.
Se nada for feito, o conflito deve se acirrar a partir de fevereiro, com o início da colheita da safra agrícola. O governo quer o fim do impasse antes disso.
A lei prevê que a tabela de frete deve ser revista e reeditada dias 20 de janeiro e 20 de julho. A próxima versão é a oportunidade para lançar um conjunto de tabelas possível de ser cumprido por ambos lados. Os preços em vigor foram fixados na correria, para encerrar a greve, e até mesmo os caminhoneiros admitem erros.
“Vamos negociar a tabela do frete com todo mundo”, diz Freitas. “Queremos criar uma tabela que possa atender aos interesses de todos.” Na sua visão, a solução para o impasse do frete poderá continuar em uso, independente do que o STF decidir.
A política de subsídio ao diesel, que garantiu desconto de R$ 0,46 por litro, terminou no dia 31. Decidida em meio à paralisação dos caminhoneiros, em maio, previa gasto de até R$ 9,5 bilhões em recursos públicos só no ano passado para bancar a redução de preços.
Subsídio
Freitas diz que a manutenção dessa política está em análise, mas acredita que o fim do subsídio não tem impacto significativo no preço, pois a cotação internacional do petróleo e o câmbio recuaram. Além disso, uma tabela que reflita os custos dos caminhoneiros supera o problema do preço do diesel. 
Por isso o fim do subsídio não preocupa os caminhoneiros. A lei prevê revisão semestral nas tabelas, mas permite reajustes extraordinários se o diesel variar mais de 10% para cima ou para baixo. 
No fim de 2018, a Petrobras aprovou mecanismo que permite dar maior estabilidade ao diesel, e poderá manter o preço estável nas refinarias por até sete dias em períodos de volatilidade. As altas diárias em maio detonaram a greve que gerou prejuízos de R$ 15,9 bilhões.
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

33 comentários:

  1. Parece uma boa idéia.
    Só que as empresas precisam do CT-e. Aí, tem que viabilizar isso a partir do autônomo.
    Ainda, os embarcadores com um número x de cargas, deverão contratar um percentual mínimo de autônomos. Simples e direto. Sem intermediários, atravessadores, sangue sugas, larápios, (LADRÕES).

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Agenciadores de cargas e app tipo frete bras e tal

      Excluir
    2. Frete Brás ajuda muito agente....ago ag os agenciador com bom senso não cobra alto na comissão,eu acho ke o problema é as transportadoras ke querem pagar em média 30 a 50 % do frete bruto....aí ninguém aguenta

      Excluir
    3. Isso devia ter sido feito também com os taxistas no Brasil, mas a empresa que o ministro da justiça é um grande acionista UBER é quem continua estorquindo 25% das costas do trabalhador brasileiro levando para os EUA sem deixar um 1(real) se quer para a Saúde, a segurança e a educação do nosso povo.

      Excluir
  3. Opoio que tenque terminar os atravessadores e que se faça uma politica segura para autônomo

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que deveria criar um site já com o preço do frete tabelado por km e aumento ou diminuição do mesmo de acordo com o petroléo. E o próprio dono de qualquer produto seria responsável pelo pagamento do frete. Se eu quero mandar uma mixirica para Alagoas eu entraria neste site e emitiria a CT-e com deposito do pagamento do frete em uma conta bloqueada até a data da entrega da minha mixirica. Com o valor do adiantamento em forma de um cartão nacional valido em qualquer posto de combustível ou saque em qualquer banco com a apresentação dos documentos necessários. Assim acabaria com atravessador de carga. Que estão enriquecendo nas costas dos caminhoneiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corretíssimo, caro Rodner, como nos estados unidos. O autonomo tem o canal direto com o produtor, industria etc, etc. E automaticamente fechando o negocio, o próprio sistema gera o CT-e e o ICMs do frete ja fica retido.

      Excluir
    2. Tbm concordo! ����

      Excluir
  5. Concordo com o comentário acima iria melhorar muito pro autônomo....

    ResponderExcluir
  6. na minha opiniao o governo tem que melhorar pro autonomo, eu tenho duas propostas para resolver a situaçao, mas ja.passei para dvs. deputados inclusive do governo, so que ninguem retorna, na realidade eles nao estão nem ai pra categoria.

    ResponderExcluir
  7. Tem que acabar com o autonomo, além de não pagar imposto nenhum, fica atrapalhando com seus caminhões caindo os pedaços e mendigando cargas a qualquer preço, pronto, falei...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se liga seu palhaço, quem disse que não paga imposto, você é burro assim mesmo ou fez faculdade? Mesmo tendo caminhões "caindo aos pedaços" Como você disse, ganhamos mais em 1 semana do que você em 1 mês em seu emprego medíocre, se toca seu fracassado!

      Excluir
    2. Tem q acabar com o cu da tua mãe filha da Puta! Vai se fuder otário!

      Excluir
    3. Os caminhões velhos é que levam comida para a mesa da sua família e papel higiênico pra vc limpar o rabo seu otário.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Esse jumento não sabe nem o que e caminhão, autônomo paga imposto sim animal ,seu noia burro

      Excluir
  8. Todos nós temos que trabalhar meu caro todos temos famílias não julgue nossos caminhões velhos todos merecemos trabalhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com toda certeza todos precisam trabalhar se muitos tem caminhões velhos como o amigo disse é por falta de recursos e o sucateamento que o governo fez com o paiz

      Excluir
  9. O frete é livre mercado todos devem trabalhar não vamos ser egoístas precisamos se colocar na pele de cada um.

    ResponderExcluir
  10. Discordo com o comentário, impensável do amigo quando julga a classe de motorista independente,se é autonoau,temos que ser profissional, até no falar só esperamos que o nosso presidente olhe para a nossa classe tão sofrida,seelhorar o fretegaronto que a frota vai ser renovada,e não teremos julgadores no nosso meio um abraço a todos os profissionais do trecho que o Senhor olhe por nós um abraço.

    ResponderExcluir
  11. Isso mesmo! Tem que se criar um canak de comunicação entre quem qurr transportar e quem transporta. Mas tem que junto a isso criar uma abela nacional de pedágio rodoviario. As estradas sao construidas com dinheiro do povo e este depois ainda têm que pagar caro para utiliza-las??? Este absurdo tem de terminar. Preço justo, fretes melhores, custo final mais barato e controle melhorado da inflação.

    ResponderExcluir
  12. O Brasil tem que deixar de ser país dos exploradores...incluindo o governo
    Se o governo não atrapalhar já é lucro!!!
    Intervenção estatal só ararromba o país.....

    ResponderExcluir
  13. Devemos orar pelo nosso país ,para que nossos amigos caminhoneiros sejam respeitado ,sou filho de caminhoneiro posso dizer que nasci dentro de um caminhão até então pouca coisa mudou no que diz respeito a valorização da classe, assim como agente ver pessoas criticando e até mesmo dizendo que o autônomo tem acabar está esquecendo que tudo tudo que e consumido ao redor dessa pessoa é transportado pelos caminhoneiros em seus caminhões velhos ou novos , abraço a todos caminhoneiros e aqueles que apoia respeita essa profissão (caminhoneiro)

    ResponderExcluir
  14. Acredito que esse aplicativo fretebras
    Tem passa por reformas ,tipo reformulando para anunciar somente fretes tabelados ,com identificação transportadora CNPJ e endereço localizado da transportadora ..

    ResponderExcluir
  15. E outro temos que ter uma lei que obriga as transportadoras carrega autônomos , muito importante isso

    ResponderExcluir
  16. Caminhoneiros Unidos jamais serão vencidos

    ResponderExcluir
  17. Sem comentário autônomo e trabalhador como qualquer outro e merecemos respeito pois somos nós que fazemos a distribuições de produtos

    ResponderExcluir
  18. Agenciadores são sangues sugas... eu falo que vou transferir a comissão mas depois não transfiro e pego o contato da empresa depois carrego direto.

    ResponderExcluir
  19. Eu nem compartilhei.

    Apesar do nome falar em uber. É exatamente o oposto.

    Uber do serviço de Taxi cria um intermediador que leva de
    25 a 4O% , onde apesar de ser baratinho hoje, quer dominar o mercado e cobrar o dobro aos clientes com dinâmica é até
    7O% do motorista como comissão.

    No modelo para o caminhoneiro é o inverso, seria tal igual o serviço de Táxi, como é o Táxi.Rio.

    Sem taxas e sem atravessadores, serviços negociados diretamente com o profissional dentro de uma plataforma.

    Seria perfeito se o título da matéria usasse o Taxi. Rio como exemplo, já que também é um aplicativo de órgão público idêntico a essa iniciativa.

    ResponderExcluir
  20. Claro que o sistema pode dar certo e fazer com que os autônomos possam prosperar. Se deu certo com Uber no mundo inteiro pode ser a possibilidade dos profissionais terem cargas boas e fretes mais compensadores. Lógico que isso mexe com as transportadoras de grande porte mas livre mercado é assim

    ResponderExcluir
  21. o problema nao esta no fretebras no agenciador na transportadora o problema está nos impostos no pedagio no disel nao tem que criar nada tem e que reduzir os impostos que são um absurdo que no final todos pagam

    ResponderExcluir