CASE e New Holland apresentam retroescavadeiras com acessibilidade para pessoas com necessidades especiais

Reforçando a sinergia entre as marcas do grupo CNH Industrial, a CASE a New Holland Construction apresentaram nesta semana durante a M&T Expo 2018, em São Paulo, duas retroescavadeiras conceito que garantem a acessibilidade necessária a operadores com necessidades especiais. 
Batizadas de 580N Accessibility (CASE) e B95 Acessível (New Holland Construction), as retroescavadeiras contam com uma plataforma de elevação e um joystick que comanda os movimentos necessários para realizar o embarque/desembarque e o acesso a cabine até a poltrona do operador. Além disso, os suportes de mão e dispositivos internos foram reposicionados, preservando os atributos de espaço interno e ergonomia de ambas as máquinas. 
Com o objetivo de facilitar as tarefas diárias dos operadores, sejam eles portadores de necessidades especiais ou não, os comandos de aceleração e freio foram transferidos dos pedais para as mãos, permitindo a total integração da máquina ao operador. 
“É importante frisar que essa nova configuração de máquina é totalmente inclusiva, podendo ser operada por pessoas com mobilidade reduzida ou não. Tal solução representa um novo marco para a sociedade, que proporcionará uma nova oportunidade profissional, além de auxiliar as empresas, promovendo a integração daqueles que estavam excluídos do mercado de trabalho”, afirma Thiago Figueiredo, Especialista em Inovação e Sustentabilidade da New Holland Construction.
Atendendo aos requisitos da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (nº 13.146) que tem como principal objetivo, “assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais para pessoas com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania”, as retroescavadeiras conceito abrem um novo mercado de trabalho até então inatingível para operadores com mobilidade reduzida. Além disso, garantem a inserção de pessoas com mobilidade reduzida na vida profissional e o aumento da expectativa de vida do trabalhador brasileiro, que demanda melhores condições para o dia a dia no canteiro de obras.
“É uma solução que permitirá a inclusão de pessoas com necessidades especiais no segmento de construção. Pela primeira vez, esses profissionais com privação dos membros inferiores poderão ser operadoras de máquinas rodoviárias”, afirma Maurício Moraes, gerente de Marketing da CASE para a América Latina. 
De acordo com as fabricantes, as retroescavadeiras conceito necessitam ainda de uma série de testes de validação para chegar ao mercado e serem efetivamente empregadas nos canteiros de obras brasileiros. 
Versatilidade como ponto forte
No Brasil, as retroescavadeiras ainda representam uma fatia muito grande de todo o mercado de máquinas de construção. O ponto forte da retroescavadeira é sua versatilidade. Ela integra dois implementos: uma carregadeira na dianteira e uma escavadeira na parte de trás, daí a origem do seu nome. Além disso, por ser uma máquina de pneus com dimensões reduzidas, consegue se locomover com agilidade na obra, em terrenos acidentados e até nas cidades.
Por causa dessas características, a retroescavadeira é usada em construções residenciais e não residenciais, obras de infraestrutura, indústria, saneamento, agricultura e mineração.
Acessibilidade no transporte de passageiros 
Ao lado das retroescavadeiras conceito presentes na M&T Expo 2018, a Iveco Bus, outra importante marca do grupo CNH Industrial, apresentou a Daily Elevittá e o SoulClass.
Apresentada em 2016, a Daily Elevittá foi projetada para oferecer ao passageiro com mobilidade reduzida as mesmas condições que os outros ocupantes. O veículo incorpora o dispositivo de poltrona móvel, que a projeta para o lado de fora do veículo, o que permite ao passageiro embarcar e desembarcar sentado no próprio assento.
No ano seguinte, 2017, a marca apresentou ao mercado o SoulClass, primeiro micro-ônibus inclusivo do País, equipado com Dispositivo de Poltrona Móvel (DPM). 

LEIA: M&T Expo 2018 conta com destaques do portfólio da IVECO

TEXTO: Lucas Duarte
Com informações: Case e New Holland Construction
Caminhões e Carretas 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário