Caminhoneiros rejeitam propostas do Governo e entram no oitavo dia de paralisação

Caminhoneiros paralisados em todo o país desde o dia 21 de maio, rejeitaram as novas propostas anunciadas pelo Governo Federal na noite de ontem (27) e deram início ao oitavo dia consecutivo de protestos em todo o país nesta segunda-feira (28). 


Informações recentes na manhã desta segunda-feira (28) apontaram para manifestações em 25 estados brasileiros e no Distrito Federal. Destaca-se a realização de manifestações de maneira organizada, pacífica e sem bloqueios em rodovias federais e estaduais. 
A reorganização dos pontos de paralisação ganhou força nos últimos dias após o Governo Federal anunciar duras penalidades para aqueles que permanecessem com seus veículos sobre as rodovias, dentre elas estão multas, prisões e até posse dos veículos. 
Com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Força Nacional, as longas filas de caminhões deixaram as rodovias e passaram a se concentrar em postos de combustíveis, áreas particulares e vias próximas as rodovias, eliminando assim a possibilidade de qualquer sansão federal.

LEIA: PRF diz que não irá retirar caminhoneiros da BR-381 em Minas Gerais
LEIA: PRF não aplicou nenhuma multa autorizada pelo STF a caminhoneiros
De acordo com milhares de caminhoneiros e publicações em redes sociais e aplicativos de troca de mensagem, que estão sendo o principal de comunicação, organização e movimentação da paralisação, as novas medidas anunciadas pelo Governo Federal são insuficientes para suprir as necessidades do transporte rodoviário de cargas e não garantem preços dos combustíveis mais baixos por um significativo período de tempo. A redução anunciada de R$ 0,46 no litro do óleo diesel por 60 dias, foi considerada por muito por muitos como uma migalha. 
Em coletivas de imprensa realizadas na manhã nesta segunda-feira (28), os ministros do Governo Federal, especialmente aqueles que fazem parte do Gabinete de Crise, relevaram que chegaram ao limite de negociação e que não há possibilidade de abrir mão de mais recursos sem comprometer a economia do país. 
Os ministros ressaltaram ainda que esperam e confiam na colaboração dos caminhoneiros para o encerramento da paralisação nacional. Assim como dito pelo Presidente Michel Termer, na noite de ontem, os ministros voltaram a ressaltar a necessidade do sentimento de responsabilidade, solidariedade e de patriotismo. 

Saiba tudo sobre a greve de caminhoneiros: CLIQUE AQUI

TEXTO: Lucas Duarte
Blog Caminhões e Carretas
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário