Governo Federal anuncia nova proposta para tentar por fim a greve de caminhoneiros

O Governo Federal, através do Presidente Michel Temer, anunciou na noite deste domingo (27) uma nova proposta com o objetivo de encerrar a paralisação nacional de caminhoneiros que completa hoje, sete dias consecutivos. 
No pronunciamento oficial exibido em todos os meios de comunicação, incluindo as redes sociais, o governo destacou cincos novas principais medidas. São elas: 

1- Preço do óleo diesel: De acordo com o Presidente Michel Temer, o preço do óleo diesel terá uma redução de R$ 0,46 por litro. O valor é resultado da soma do fim da CIDE  e de uma redução do PIS/Cofins.

2- Congelamento de preços e reajustes mensais: Após redução anunciada no litro do diesel, o preço do combustível será congelado por 60 dias. Passado este prazo, serão feitos apenas reajustes mensais. 
De acordo com presidente, a medida tem como objetivo garantir maior previsibilidade aos caminhoneiros e transportadoras com relação aos custos com o combustível. Que atualmente é a maior despesa do transporte rodoviário de cargas.

3- Isenção do eixo suspenso: Durante o pronunciamento, o Presidente Michel Temer garantiu a edição de uma Medida Provisória (MP) que garantirá a isenção da cobrança do eixo suspenso em praças de pedágio de todo o território nacional, sejam elas em rodovias federais ou estaduais.

4 - 30% dos fretes CONAB: A quarta decisão anunciada na noite deste domingo pelo Presidente da República, é a assinatura de mais uma Medida Provisória (MP) que garante aos caminhoneiros autônomos 30% dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB). 

5 - Tabela mínima do frete: A quinta e última medida anunciada neste domingo (27), também se trata da assinatura de mais uma Medida Provisória (MP) que estabelece o tabelamento mínimo do frete, com base no Projeto de Lei 121/2017, que está sob análise no Senado Federal e com votação prevista para está segunda-feira (28).

LEIA: Senado convoca sessão deliberativa para votar medidas sobre o tabelamento do frete

Após o anúncio das cincos propostas, o Presidente Michel afirmou que as propostas apresentadas e assinadas em um suposto acordo com lideranças que se apresentaram como representantes dos caminhoneiros, na última quinta-feira (24), seguem valendo. Dentre elas destaca-se o compromisso de não reonerar a folha de pagamento do transporte rodoviário de cargas. 
Ao final do pronunciamento o Presidente Michel Temer disse que compreende as reivindicações dos caminhoneiros e que o Governo Federal fez a sua parte, uma vez que as propostas atendem a praticamente todas as reivindicações. Por fim o Presidente disse que confia espera um espirito natural de responsabilidade, solidariedade e de patriotismo de cada um dos caminhoneiros paralisados. 
Repercussão entre caminhoneiros 
Rapidamente o pronunciamento e as novas propostas anunciadas pelo Presidente Michel Temer repercutiram rapidamente entre os caminhoneiros, principalmente através das redes sociais e aplicativos de troca de mensagem, que se tornaram a principal ferramenta de apoio e organização da paralisação nacional. 
Assim como na última quinta-feira (24) e sexta-feira (25), as novas propostas não foram bem recebidas e aceitas pelos caminhoneiros. Milhares de publicações e mensagens começaram a circular rapidamente e refletem o descontentamento com as novas propostas e com falta de atendimento das reais reivindicações.  
As publicações na noite deste domingo (27) reforçam ainda a continuidade da paralisação nacional de caminhoneiros nesta segunda-feira (28) e sem prazo para ser encerrada. 

LEIA: Caminhoneiros dizem que greve está longe do fim

Confira na íntegra o pronunciamento:
Saiba tudo sobre a greve de caminhoneiros: CLIQUE AQUI

TEXTO: Lucas Duarte
Blog Caminhões e Carretas
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário