Caminhoneiros paraguaios entram em greve contra a circulação de bitrens brasileiros

A exemplo do ocorrido em maio de 2016, caminhoneiros paraguaios deflagraram no último final de semana uma nova paralisação contra a entrada de bitrens brasileiros na região norte do país, para o transporte da safra 2018. 
A circulação de bitrens brasileiros com até 7 eixos foi autorizada pelo Ministério das Obras Públicas e Comunicações (MOPC) do Paraguai através da Resolução nº 74, de 17 de janeiro de 2018.


De acordo com a publicação, a circulação de bitrens brasileiros em solo paraguaio acontecerá de forma experimental em um trecho da Route Nacional No. 5 que liga a fronteira de  Pedro Juan Caballero (PY) - Ponta Porã (BR) ao porto de Concepción. Destaca-se ainda que serão autorizados apenas os bitrens para transporte de soja.
Segundo a Federação de Caminhoneiros do Paraguai (FCP), somente na região norte onde a circulação experimental está autorizada cerca de 5 mil caminhoneiros autônomos serão prejudicados. Já em todo o país a estimativa é de que cerca de 35 mil caminhoneiros paraguaios sejam prejudicados com a entrada dos bitrens brasileiros. 
Caminhoneiros paraguaios destacam ainda que os motoristas brasileiros serão beneficiados com a medida, uma vez que, até agora, os bitrens eram proibidos de circular no Paraguai e que portanto não há motoristas paraguaios dirigindo este tipo de caminhão. Além disso, os caminhoneiros afirmam que a Rota 5 — a rodovia paraguaia pela qual a carga será escoada — não possui infraestrutura para suportar os caminhões maiores.
Diante da crescente paralisação, o Ministério de Obras Públicas e Comunicações, responsável pela resolução, rebateu as críticas. Para o governo paraguaio, os caminhoneiros não perderão seus empregos porque a carga que será transportada pelos bitrens não circulava pelo Paraguai e que a passagem da safra brasileira pela região norte do país irá gerar novos empregos.
Em uma nota oficial, o ministério ressalta que o transporte feito pelos bitrens são seguros e que suportam 20% mais carga do que os caminhões paraguaios. O manifestantes afirmam que os bitrens suportam o dobro da carga de um caminhão normal, o que diminui a demanda dos serviços paraguaios.
Nesta terça-feira (30), a greve de caminhoneiros paraguaios segue em diversas rodovias do país, principalmente na região da Cidade do Leste e já provoca falta de combustíveis em postos e atrasos na liberação de cargas que deveriam entrar no Brasil, por Foz do Iguaçu.

TEXTO: Lucas Duarte
Blog Caminhões e Carretas 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário