Viação Vitali incrementa sua frota com seis chassis 170S28 da Iveco Bus

A região de Campinas, no interior de São Paulo, agora pode contar com a expertise da marca Iveco Bus no transporte de passageiros. Foram entregues seis chassis 170S28 para a Viação Vitali, tradicional empresa do setor, que atua desde 2008  no transporte de passageiros e de cargas, e conta com uma frota de 65 ônibus.
Para Albenzio Callegari, proprietário da Vitali, fatores como a potência do motor e a confiança na marca foram pontos fundamentais na hora de escolher o chassi. "No nosso ramo, é fundamental contar com veículos de qualidade e que proporcionem uma viagem segura e confortável para os passageiros." O executivo ressalta ainda que a linha de crédito oferecida pelo Banco CNH Industrial foi outro ponto que facilitou a negociação.
O modelo de 17 toneladas é fabricado no Complexo Industrial da Iveco, em Sete Lagoas (MG), e conta com um motor N67, da FPT Industrial, com seis cilindros em linha. O propulsor é capaz de gerar potência máxima de 280 cv. A transmissão utilizada é ZF, manual, de seis marchas, com escalonamento compatível com as operações urbanas e rodoviárias. 
Humberto Spinetti, diretor de Negócios de Ônibus da Iveco para a América Latina, destaca a importância da venda, que marca a entrada da Iveco Bus em Campinas. "Nossos produtos já rodam por importantes regiões, como Minas Gerais, Porto Alegre e Pernambuco, e agora passam também a atender o mercado campineiro de transporte. Esse é mais um importante passo para a consolidação da marca no Brasil." A Iveco Bus já detém uma parcela importante do mercado de ônibus europeu, com uma proporção de um veículo para cada cinco rodando.
Segundo a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), o sistema de transporte público de Campinas conta com 1.252 ônibus em operação, rodando em 206 linhas municipais. Nos últimos 12 meses, o Sistema Intercamp registrou uma média de 634 mil passageiros por dia útil e 15,6 milhões de passageiros por mês.

Chassi 170S28
O chassi 170S28U apresenta evoluções tecnológicas para oferecer ao cliente a garantia de um produto robusto. Com um reforço estrutural, o projeto foi pensado para dar resistência extra ao veículo nas aplicações urbanas e de fretamento, facilitando a manutenção e diminuindo, por exemplo, o tempo de treinamento dos funcionários que farão a revisão dos ônibus. 
A força do modelo da Iveco Bus deve-se ao motor N67, da FPT Industrial, com seis cilindros em linha. O propulsor de 6,7 litros, com sistema SCR, atende as normas do Proconve-P7 e é capaz de gerar potência máxima de 280 cv, a maior do segmento. O torque chega a 950 Nm, já disponíveis na faixa de 1.250 a 1.950 rpm. A curva plana de torque e a grande disponibilidade de força em baixas rotações garante, de uma só vez, mais economia de combustível e mais conforto para o motorista, evitando constantes trocas de marchas. 
Desenvolver um veículo de transporte de passageiros envolve tecnologia avançada para garantir conforto e bem-estar a bordo. O chassi 170S28 foi projetado também com esse foco. A transmissão utilizada é ZF, manual, de seis marchas, com escalonamento compatível com as operações urbanas e rodoviárias. O sistema permite uma condução mais suave e melhor desempenho operacional, sem deixar de lado a economia de combustível.
Linha de crédito exclusiva - Banco CNH Industrial
A Iveco lançou uma opção de financiamento com condições especiais para a compra de veículos e caminhões da marca, com apenas 10% de entrada do valor total e prazo de cinco anos para quitar o parcelamento do restante. A linha de crédito, disponível via Banco CNH Industrial, é uma solução para os transportadores que desejam adquirir veículos novos em condições mais atrativas que as oferecidas atualmente pelo Finame, principal linha de financiamento do governo federal para máquinas, equipamentos e caminhões.
As novas regras do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) para o Finame, anunciadas recentemente, restringiram o acesso a essa modalidade de crédito. Antes, era possível financiar até 100% do bem a ser adquirido. Com as mudanças, o valor mínimo de entrada é de 30% para pequenas empresas e de 50% para as grandes. Também houve aumento na taxa de juros, que passou de 6% para 9,5% ao ano para as pequenas e 10% para as grandes empresas.
A linha de crédito da Iveco, válida para os veículos da marca que possuem o código Finame, incluindo comerciais leves e extrapesados, visa complementar a parte não coberta pelo PSI, com a mesma taxa da operação feita pelo BNDES e no mesmo prazo, 60 meses. O Banco CNHI oferece ainda a possibilidade de financiamento de 20% ou 40% do caminhão em 12 meses sem juros, com pagamento iniciado em 60 dias após assinatura do contrato. Para financiar a entrada em prazos maiores que 12 meses, são oferecidas as mesmas condições de taxas e prazos do Finame PSI — 9,5% ao ano ou 0,76% ao mês para as pequenas e médias empresas (faturamento anual até R$ 90 milhões) e 10% ao ano ou 0,80% ao mês para as grandes empresas, em até cinco anos.
FONTE: Iveco 

Postar um comentário

0 Comentários