Governo decide aumentar imposto sobre o óleo diesel

O Governo Federal decidiu nessa quarta-feira (19) aumentar os impostos (PIS/Cofins) que incidem sobre o óleo diesel. O aumento de tributos tem como objetivo garantir o cumprimento da meta fiscal deste ano, de déficit de R$ 139 bilhões.
Segundo uma fonte do governo a escolha do PIS/Cofins ocorreu porque o aumento entra em vigor imediatamente, ao contrário da CIDE, que é necessário uma espera de 90 dias para entrar em vigor. Além disso, o PIS/Confins não é dividido entre os estados e municípios. 
A queda da inflação e as frequentes reduções nos preços dos combustíveis influenciaram diretamente na decisão. Segundo o governo, diante desses fatores um aumento de, por exemplo, R$ 0,10 no preço do litro não teria grande impacto no bolso do consumidor e ainda ajudaria as contas públicas. 
Segundo o portal Valor Econômico, contas relevadas por fontes apontam que a cada R$ 0,01 a mais de tributo sobre o óleo diesel, a arrecadação do governo sobe para R$ 350 milhões por ano. 
Um discurso para justificar o aumento já está pronto e acompanhará o anúncio oficial da decisão que deverá ser feito nessa quinta-feira (20). 

Gasolina
O aumento do PIS/Cofins também afetará o preço da gasolina. Além de auxiliar o cumprimento da meta fiscal, o aumento de impostos sobre o combustível ampliará a competitividade do etanol no mercado interno. 

Novos aumentos de impostos estão previstos 
Além do aumento do PIS/Cofins o governo federal avalia ainda outro aumento de impostos para cobrir o rombo de R$ 10 bilhões no Orçamento de 2017. Três alternativas estão em análise: IOF sobre operações de câmbio à vista, ou IOF sobre operações de crédito, ou Cide sobre os combustíveis.

TEXTO: Lucas Duarte
Blog Caminhões e Carretas  
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário