Resolução do Contran põe fim a polêmicas e multas sobre cavalos mecânicos 8x2 e 8x4

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) publicou no dia 26 de fevereiro a Resolução nº 577. Resolução esta que altera a Resolução nº 210 de 2006, que estabelece os limites de peso e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres. 
Além disso, a Resolução 577 encerra a polêmica envolvendo cavalos mecânicos 8x2 e 8x4, que resultou em multas e retenções de veículos em diversas rodovias. Tudo isso por uma simples dúvida: Existe um limite de distância entre o 2º e o 3º eixo para bi-trucks? 
Segundo representantes do segmento de transporte de cargas, NÃO EXISTE, e a Resolução 577 confirma isso. Segundo a nova Resolução o único limite que permanece é entre o 1º e o 2º eixo: Que deve ser de no mínimo 1.200 mm conforme desenho abaixo:
Fica estabelecido ainda um limite de peso de 12 toneladas para cavalos mecânicos de dois eixos direcionais independe da distância entre o 2º e o 3º eixo do veículo. Confira o texto da resolução:
Publicado no DO em 26 fev 2016
      
Altera a Resolução CONTRAN nº 210, de 13 de novembro de 2006, que estabelece os limites de peso e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres.
O Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 12, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e conforme o disposto no Decreto nº 4.711, de 29 de maio de 2003, que trata da coordenação do Sistema Nacional de Trânsito (SNT);

Considerando o constante no processo nº 80000.016093/2015-18;

Resolve:

Art. 1º O parágrafo 4º do artigo 2º da Resolução CONTRAN nº 210, de 2006, passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 2º .....

§ 4º peso bruto por conjunto de dois eixos direcionais, com distância entre eixos de no mínimo 1,20 metros, independente da distância do primeiro eixo traseiro, dotados de dois pneumáticos cada: 12t.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

ALBERTO ANGERAMI

Presidente do Conselho

GUILHERME MORAES REGO

p/Ministério da Justiça

RICARDO SHINZATO

p/Ministério da Defesa

ALEXANDRE EUZÉBIO DE MORAIS

p/Ministério dos Transportes

DJAILSON DANTAS DE MEDEIROS

p/Ministério da Educação

RAFAEL SILVA MENEZES

p/Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

EDILSON DOS SANTOS MACEDO

p/Ministério das Cidades

THOMAS PARIS CALDELLAS

p/Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

NOBORU OFUGI

p/Agência Nacional de Transportes Terrestre

TEXTO: Lucas Duarte
Blog Caminhões e Carretas 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

8 comentários:

  1. é um absurdo,tinha é que ser proibido esse tipo de caminhao assim como os 09 eixos que só serve pra atrapalhar o fluxo do transito e abaixar o frete

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas e esse absurdo ai que transporta quase toda a produção brasileira se nao fosse isso nao teria nada nas lojas a sua disposição se nao quer ser atrapalhada por eles não rode em rodovias

      Excluir
    2. Não concordo que esse tipo de transporte venha a atrapalhar é só andar na sua mão que dá tudo certo, e quanto a baixar o frete isso depende de quem transporta pois temos que lutar por fretes melhores e não ceder a ganancia das transportadoras que só querem para si, e os autônomos que fique com às migalhas.

      Excluir
    3. Não concordo que esse tipo de transporte venha a atrapalhar é só andar na sua mão que dá tudo certo, e quanto a baixar o frete isso depende de quem transporta pois temos que lutar por fretes melhores e não ceder a ganancia das transportadoras que só querem para si, e os autônomos que fique com às migalhas.

      Excluir
  2. Eu acho muito interessante, por que esse tipo de equipamento pode até substituir o famoso bi trem no transporte por ser mais versátil e mesmo oneroso na manutenção (puxa o mesmo peso com menos pneus). Ok.

    ResponderExcluir
  3. Há e também não é necessário que o veículo seja 6x4 como a legislação exige hoje, e sim 6x2. Ok.

    ResponderExcluir
  4. Há e também não é necessário que o veículo seja 6x4 como a legislação exige hoje, e sim 6x2. Ok.

    ResponderExcluir