PRF alerta para os riscos da traseira alta em caminhões

Divulgação

Para a PRF, traseira alta representa risco para os próprios caminhoneiros e aumenta de forma considerável a chance de acidentes graves devido a quatro fatores

Google News
Moda entre os caminhoneiros, principalmente os mais jovens, as alterações nas suspensão traseira de caminhões se tornaram comuns nas rodovias de todo o Brasil. Mesmo sendo permitidas, através de limites claramente estabelecidos pela Resolução nº 479 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), não é difícil encontrar exemplos irregulares.

Na última quinta-feira, 22 de dezembro, por exemplo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu um caminhão com a suspensão traseira elevada e uma série de outras irregularidades. O flagrante foi registrado na BR-174, em Comodoro  (MT). O veículo de carga excedia o limite de elevação permitido por lei. 



Diante da ocorrência, a corporação veio a público alertar para os riscos associados às alterações na suspensão de caminhões. Na avaliação da PRF, tal prática aumenta de forma considerável a chance de acidentes graves, devido aos seguintes fatores:

1- Mudança significativa na estabilidade do veículo de carga;
2- Sobrecarga nos eixos dianteiros;
3- Aumento do risco de tombamento em curvas; 
4- Perda da funcionalidade do para-choque justamente por estar mais alto.

Ainda segundo a PRF, "até os próprios caminhoneiros ficam diretamente mais expostos ao perigo, uma vez que, no caso de uma frenagem forte e inesperada, a elevação traseira enfatiza o deslocamento da carga para a frente, em direção à cabine", alerta.



Traseira alta: o que diz lei?
Atualmente a Resolução nº 479 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) permite que caminhões sejam elevados em até 2° graus. Ou seja, 3,5 centímetros por metro de comprimento. Além disso, as lanternas traseiras não podem estar 1,20 metros acima do piso.


Sua opinião
Você concorda com o ponto de vista da PRF? Qual é a sua opinião sobre as alterações na suspensão traseira de caminhões? Responda nos comentários abaixo:

Caminhões e Carretas

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Em país sério essa modificação nem é aceita e aqui há lei pra tolerar até 2 graus. Mas num país com pessoas que não levam a sério a segurança, em nome de uma liberdade sem limites, abusam a ponto de questionar ser um veículo de carga.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, palavras de baixo calão, desrespeito ou ofensas não serão toleradas e autorizadas nos comentários.