Mercado crescente de massas frescas demanda cuidados específicos no transporte e armazenagem

Thermo King/Divulgação

Mudança de hábitos desde o início da pandemia aumentou consumo de produtos sensíveis a variações de temperatura e umidade

Google News
O mercado brasileiro de massas industrializadas movimentou R 50,4 bilhões em 2021, 13% acima do valor do faturamento alcançado em 2020 (R$ 44,6 bilhões), de acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi). Esses dados permanecem em tendência de alta de até 6% até o final deste ano, apesar de fatores adversos, como os preços dos combustíveis e do trigo. Mas é preciso muito planejamento, estratégia e inovação para manter os ganhos, principalmente energéticos.

Energia, por sinal, é o fator fundamental no caso de um dos segmentos que teve maior expansão neste setor, que foi o de massas frescas. O aumento do consumo desse tipo de alimento, impulsionado pela pandemia, levou muitas pessoas a optarem por produtos mais frescos e saudáveis, além de fáceis de preparar. Mas fazer com que alguns desses itens cheguem ao consumidor final requer tecnologia e eficiência energética.


Com percentual de umidade bem maior que o das massas secas e prazo de validade menor, as massas frescas demandam cuidados específicos na armazenagem e transporte. “Manter constante a temperatura especificada pelo fabricante durante o transporte e a entrega é, sem dúvida, o primeiro passo, além de dispor de equipamento corretamente dimensionado e adequado para cada produto”, explica Cláudio Biscola, gerente de vendas da Thermo King, líder em soluções de controle de temperatura de transporte.

Por ser um produto muito sensível a variações de temperatura, assim como pães congelados, ou pães de queijo (que é aerado), a massa fresca pode perder suas propriedades rapidamente, explica Biscola, que conclui: “Neste casto, outro aspecto importante para evitar prejuízos, é o cuidado no desembarque e na entrega, evitando perda de temperatura enquanto as portas do baú ficam abertas. Cortinas plásticas reduzem a perda de temperaturas e sensores de porta também são importantes para desligar o equipamento de refrigeração momento da entrega, evitando a saída do ar interno.

As soluções de refrigeração da Thermo King para controle de temperatura no transporte, incluem, por exemplo, um sistema telemático de monitoramento e gestão de frota remoto. Assim, é possível monitorar as entregas e fazer as correções necessárias em tempo real, preservando a qualidade dos produtos e mantendo os padrões de segurança alimentar.
 

Além disso, atualmente a Thermo King conta com uma linha completa de soluções de controle de temperatura para semi-reboque que oferece mais opções, maior eficiência e controle preciso da temperatura dos trailers.

O Advancer (A500) utiliza nossa arquitetura hibrida, proporcionando alta economia de combustível. Também possui controle de temperatura com alta precisão e com maior fluxo de ar do mercado garantindo homogeneidade de temperatura em todo o baú.
 
Otimizar o uso dos recursos naturais disponíveis e reduzir ao máximo as emissões de Carbono são compromissos que a Thermo King assume diante de todos os seus clientes. Neste 29 de maio, dia Mundial da Energia, a empresa reforça seus valores e a constante busca pelas energias renováveis, alternativas e soluções que, aliadas aos recursos existentes, possam poupar o planeta de maiores riscos.

FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários