Cargill confirma proibição de descarga de caminhões com traseira alta

Chaparrau/Instagram

Implementada há alguns anos em todas as unidades, restrição aos caminhões arqueados com molas ou calços está alinhada com os principais valores da companhia

Google News
Nas últimas semanas, a circulação de caminhões com suspensão alterada se tornou um dos assuntos mais discutidos no transporte rodoviário de cargas brasileiro. A questão não se restringiu apenas às ações de fiscalização, limites legais e riscos em casos de eventuais colisões, mas também aos impedimentos de carga e descarga de caminhões com suspensão traseira alterada, seja por meio de molas ou calços. 


Dentre as empresas que vem adotando restrições aos veículos de carga, destaca-se a Cargill, uma das maiores indústrias de alimentos do Brasil. A decisão da empresa ganhou repercussão nas redes sociais logo após a divulgação de uma sinalização informativa de proibição do ingresso de caminhões modificados nas unidades da empresa em todo o país. 


Procurada pelo Portal Caminhões e Carretas, a Cargill confirmou a restrição e explicou os fatores que levaram à adoção da medida, especialmente em tombadores. Segundo a empresa, a decisão está alinhada com os principais valores da companhia, dentre eles, o de colocar as pessoas em primeiro lugar. "Esta é uma medida preventiva de segurança, que visa evitar o tombamento do caminhão durante o processo de descarga", explica.

Com relação aos casos em que o caminhoneiro não esteja ciente da restrição, a empresa explica que o mesmo será impedido de prosseguir com a descarga nos tombadores. Além disso, dependendo da estrutura disponível na unidade do fato, a descarga poderá ser realizada manualmente ou até mesmo não autorizada.


Segundo a companhia, as restrições aplicadas aos caminhões com traseira elevada não são uma novidade nas rotinas operacionais, uma vez que já sendo aplicadas há alguns anos.

Ainda de acordo com a Cargill, as medidas de segurança adotadas diariamente vão além da proibição de caminhões com suspensão traseira alterada. A empresa destaca que ao ingressarem nas unidades, "todos os prestadores de serviços recebem orientações de segurança e todos os nossos processos de descarga são acompanhados por funcionários treinados que reforçam as orientações aos caminhoneiros, garantindo que as normas e procedimentos da empresa sejam seguidos, visando a segurança das nossas pessoas, dos caminhoneiros e das operações de maneira geral".

Cargill/Divulgação
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários