Com mais de 127 mil unidades emplacadas, mercado de caminhões zero km cresce 42% em 2021

Carboni IVECO

Número significativo de emplacamentos, consolida 2021 como um ano de recuperação para o segmento caminhões 

Google News
O mercado brasileiro de caminhões zero quilômetro encerrou o ano de 2021 com bons motivos para comemorar. Apesar dos inúmeros desafios impostos pela escassez de componentes na indústria e consequentemente atrasos nas entregas, o segmento registrou crescimento significativo em todos os comparativos.

De acordo com o balanço oficial da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE), de janeiro a dezembro de 2021, 127.357 caminhões novos foram emplacados em todo o país, crescimento de 42,82% em relação ao acumulado de 2020, quando 89.173 foram emplacados. 


Somente no mês de dezembro, 11.986 unidades foram emplacadas no Brasil, alta de 13,51% em relação ao mês anterior, novembro, quando 10.559 caminhões entregues. Já em relação a dezembro de 2020, quando 9.638 unidades foram emplacadas, a alta registrada foi de 24,36%.

"O volume de transações estabilizou em um patamar alto. Além disso, há muitas unidades já comercializadas, no ano passado, que ainda devem ser entregues nos próximos meses", destaca José Maurício Andreta Júnior, Presidente da FENABRAVE, recém-eleito para o triênio 2022-2024.

Pesados em destaque
Assim como nos anos anteriores, o segmento de caminhões pesados segue na liderança do mercado brasileiro. De acordo com os dados da Fenabrave, no acumulado de 2021, a categoria acumulou 50,88% das vendas.


10 mais vendidos em dezembro de 2021
1º lugar - Volvo FH 540 - 990 unidades
2º lugar - Scania R 450 - 725 unidades
3º lugar - VW Delivery 11.180 - 515 unidades
4º lugar - Scania R 540 - 438 unidades
5º lugar - Volvo VM 270 - 408 unidades
6º lugar - MB Accelo 1016 - 380 unidades
7º lugar - VW Constellation 24.280 - 369 unidades
8º lugar - VW Delivery 9.170 - 333 unidades
9º lugar - Volvo FH 460 - 277 unidades
10º lugar - VW Constellation 17.190 - 270 unidades

Confira na íntegra os números da Fenabrave: CLIQUE AQUI


Postar um comentário

0 Comentários