Altas no preço do diesel elevam em até 32% os custos do transporte rodoviário de cargas

Arquivo CNT

Aumento expressivo de custos relacionado aos sucessivos reajustes no preço do diesel é confirmado pelo Boletim Técnico e Econômico do IPTC

Google News
O ano de 2022 mal começou e a Petrobras já colocou em prática o primeiro reajuste significativo no preço do óleo diesel. Na última quarta-feira, 12 de janeiro, entrou em vigor um aumento médio de 8,08% no preço do combustível, cerca de R$ 0,27 por litro nas refinarias de todo o país. A mudança trouxe a tona novamente um dos principais desafios do transporte rodoviário de cargas, os sucessivos aumentos de custos.


Considerando os reajustes acumulados nos últimos 12 meses, ou seja, de janeiro de 2021 a janeiro de 2022, o preço do óleo diesel nas refinarias já acumula uma alta recorde de 78,80%. A informação é confirmada pelo mais recente boletim técnico divulgado pelo Instituto Paulista do Transporte de Carga (IPTC).


Segundo o IPTC, a alta acumulada elevará os custos do transporte de cargas lotação em 22,33% na média geral, com destaque especial para as operações com mais de 6.000 quilômetros de distância, segmento que aumento custos atinge a expressiva marca de 32,21%. Já nas operações de carga fracionada o impacto médio nos custos é calculado em 11,48%.

IPTC/Divulgação

Diante de altas tão expressivas, o IPTC entende que toda e qualquer majoração, deve ser avaliada e repassada pelas empresas, a fim de estabelecer o equilíbrio financeiro das operações de transportes.

Confira na íntegra o Boletim nº 11 do IPTC: CLIQUE AQUI


Postar um comentário

0 Comentários