New Holland celebra 46 anos de Brasil com restauração de modelo da primeira colheitadeira produzida no país

New Holland/Divulgação

Restauração da NH 1530, lançada há 45 anos, foi um presente da marca e de 10 concessionários para a fábrica, seus colaboradores e para os agricultores

Para celebrar os 46 anos do início das operações da sua primeira fábrica no Brasil, a New Holland Agriculture, marca da CNH Industrial, recuperou e restaurou uma unidade do primeiro modelo de colheitadeira produzido pela marca no país, o NH 1530. Conhecida por sua qualidade e performance, a máquina, lançada em 1976 – um ano após o início das atividades da fábrica de Curitiba (PR), no dia 25 de outubro de 1975 –, acompanhou os primeiros passos de uma geração de produtores rurais que iniciaram a expansão da agricultura no Brasil. O restauro foi um presente da marca para a fábrica, seus colaboradores e para os agricultores de todo o país.

“Recuperar este patrimônio que é parte da nossa história e da história da agricultura brasileira é um privilégio e uma honra para nós da New Holland. Esta máquina simboliza o início de uma jornada de continuar buscando soluções para melhorar a vidados agricultores no campo, para que continuem produzindo mais e melhor, com menor custo e maior facilidade. Desde a NH 1530 até as modernas linhas TC, TX e CR, que compões o portfólio da marca atualmente, a New Holland tem se comprometido em atender o produtor com a tecnologia que ele precisa no momento”, afirma Rafael Miotto, vice-presidente da New Holland Agriculture para a América do Sul.


A NH 1530 foi fabricada de 1976 a 1979 e caiu no gosto dos agricultores da época, pois não era pequena e nem grande demais. Tinha o tamanho ideal para as propriedades rurais nos meados dos anos 1970. “Foi uma colheitadeira que se adaptou muito bem à agricultura nascente brasileira à época. Tinha qualidade, performance e desempenho que chamavam a atenção. Ela tinha ainda uma plataforma pequena e era boa para pequenas lavouras. Se encaixou muito bem em termos de capacidade e desempenho”, conta Mario Pino, supervisor do Suporte ao Produto-Colheitadeiras e responsável pelo projeto de restauro da máquina. Mesmo após tantos anos, algumas dessas máquinas continuam até hoje em operação.

Tudo começou quando Mario Pino visitou a fábrica da New Holland na Bélgica e viu que tinha a primeira colheitadeira exposta no museu da fábrica. “Pensei, por que não podemos fazer o mesmo no Brasil?”, revela. A empreitada foi aceita pela diretoria da marca no Brasil e iniciaram-se as buscas por modelo da 1530. A concessionária Equagril, de Palotina (PR), localizou a máquina, que estava encostada na propriedade de um cliente no interior do Paraná.

Começava então o trabalho de lavagem e desmontagem de todos os componentes. “A restauração não é tarefa fácil porque cada componente tem de ser tratado para a nova pintura, como foi o caso do elevador de palhas, por exemplo”, explica Mario. Muitos componentes estavam danificados ou simplesmente não existiam mais. “Foi preciso recorrer até a desmanches para encontrar algumas peças de substituição”, afirma.


O projeto contou com a colaboração de 10 concessionários New Holland, de 4 estados. Além da Equagril, contribuíram para a restauração da máquina: Xingu (Água Boa-MT); Taisa (Pato Branco-PR); Dall’Oglio (Toledo-PR); New Agro (Maringá-PR); Tratowel (Araranguá-SC); Tratornew (Ponta Grossa-PR); Super Tratores (Santa Maria-RS); Rodomac (São Miguel do Oeste-SC); e Amazônia Máquinas (Lucas do Rio Verde-MT).

E após dois anos desde o início do projeto, a máquina ficou pronta e agora ficará em exposição na galeria da fábrica de Curitiba, ao lado de máquinas modernas que deram continuidade ao legado a 1530 e de suas sucessoras imediatas, a 4040, que era muito parecida com a 1530, mas que possuía um mecanismo hidráulico do tubo de abertura da descarga e uma refrigeração melhor do radiador, com tela rotativa; e a 5050, que tinha as mesmas características, mas possuía um saca palha extra e capacidade de absorver mais massa.

Mario Pino conta que no início as colheitadeiras eram importadas para o Brasil. A produção nacional, com a 1530, começou somente em 1976. Ele conta que houve até um desfile de lançamento da colheitadeira em Brasília (DF). Na opinião dele, sem a 1530 não haveria as colheitadeiras modernas de hoje em dia, com alta tecnologia embarcada. “Se não fosse a 1530, essa fábrica não teria razão de existir naquela época. Os tratores só vieram para Curitiba em 1986, quando a Ford comprou a New Holland. A 1530 foi o pontapé inicial para as nossas atividades.”


Tecnologia para todos os perfis de clientes
Atualmente, o portfólio da marca conta com modernas linhas de colheitadeiras, que oferecem a solução ideal para todos os perfis de clientes. Entre elas está a TC, que foi remodelada no ano passado, agregando novas tecnologias que melhoraram o seu desempenho sem perder a robustez e confiabilidade que o produtor está acostumado. Outra novidade foi o lançamento da linha TX, cujo grande diferencial é o sistema de duplo rotor de separação, permitindo uma maior capacidade de processamento e, consequentemente, de colheita.

A New Holland disponibiliza ainda a linha CR, de alta performance, com seu sistema de trilha, separação e limpeza que entrega a melhor qualidade de grão do mercado, além de possuir o duplo rotor, uma exclusividade da New Holland. A máquina também oferece maior rendimento e produtividade, pois possui o INTELLICRUISE™, que controla a velocidade de avanço da colheitadeira a fim de trabalhar sempre na capacidade máxima, mantendo a qualidade do grão e os baixos índices de perda já conhecidos pelo cliente.

FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários