Falta de pneus prejudica entrega de caminhões zero km no Brasil

Caio Bezerra

Segundo a ANFAVEA, muitos veículos estão parados nos pátios das montadoras por falta de componentes e em alguns casos, caminhões estão sendo entregues faltando pneus

Se você vem acompanhando com atenção a indústria automotiva brasileira e mundial nos últimos meses, você já se acostumou a ouvir uma série de expressões preocupantes, como, "gargalos logísticos", "escassez de componentes", "falta de insumos" e "atrasos na cadeia produtiva". Ao se deparar com esses fatores a primeira coisa que vêm à cabeça é a tão falada falta de semicondutores. Mas no caso da indústria da brasileira de caminhões, a crescente falta de pneus também tem ganhado protagonismo.

O impacto da escassez de pneus na produção brasileira de veículos comerciais é confirmado pelo Presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Autoveículos (ANFAVEA), Luiz Carlos Moraes “Em alguns casos, estamos entregando caminhões com pneus a menos”, revela o executivo.


Apesar de não existirem números exatos da quantidade de veículos parados nos pátios das montadoras por falta de componentes, Moraes afirmou nesta semana que “são muitos”. Para reverter este cenário e consequentemente reduzir a dificuldade de aquisição de pneus no mercado brasileiro, a entidade vem estabelecendo diálogos constantes com as montadoras e fabricantes de pneumáticos.

“Temos conversado com os fabricantes e também com a Anip (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos”) para tentarmos um planejamento da produção que contemple nossas necessidades”, destaca o executivo.


Na tentativa reverter a escassez de pneus, as montadoras brasileiras de caminhões já avaliam a viabilidade das importações. Entretanto, segundo a entidade o processo é complexo e demanda bastante tempo. “Não é simples importar pneus”, explica o presidente da ANFAVEA. “São várias configurações com diferentes especificações e os testes até a aprovação final demoram cerca de 12 meses”.

Mesmo com os inúmeros desafios na cadeia produtiva, a indústria brasileira de caminhões encerrou o mês de outubro registrando um crescimento expressivo no acumulado do ano. Destaque para 131,9 mil caminhões produzidos em todo o país de janeiro a outubro deste ano, crescimento de 91,2% em relação ao mesmo período de 2020. Segundo a ANFAVEA, os números registrados até o momento poderiam ser ainda melhores se não fosse a escassez de componentes e pneus.


Com informações: NTC&Logística

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Olha o golpe pra encarecer mais o que já é caro...enquanto isto o governo dorme em berço esplêndido.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, palavras de baixo calão, desrespeito ou ofensas não serão toleradas e autorizadas nos comentários.