IVECO A gente nao para

BR-381/262/MG/ES terá 11 praças de pedágio após concessão

DNIT/Divulgação

Com previsão de  R$ 7 bilhões em investimentos, leilão da BR-381/262/MG/ES acontecerá no dia 25 de novembro de 2021

Ao que tudo indica, o rótulo de "rodovia da morte" obtido pela BR-381/MG está com os dias contatos. Nesta quarta-feira, 1º de setembro, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou no Diário Oficial da União (DOU), o edital de concessão da BR-381/262/MG/ES.

Com leilão marcado para o dia 25 de novembro, às 14h, na B3, em São Paulo (SP), a iniciativa abrange os trechos da BR-381/MG, com início em Belo Horizonte/MG, no entroncamento com a BR-262/MG (para Sabará) até o entroncamento com a BR-116/MG (Governador Valadares/MG); da BR-262/MG, entre o entroncamento com a BR-381/MG (João Monlevade/MG) até a Divisa MG/ES; e da BR-262/ES, entre a divisa ES/MG, até o entroncamento com a BR-101/ES (Viana/ES).

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, estão previstos mais de R$ 7 bilhões para todo o projeto, com a ampliação de capacidade e da segurança, principalmente para uma das rodovias mais perigosas do país. 

"Esse é um dos projetos de infraestrutura mais importantes do ponto de vista social, que vai garantir a duplicação de mais de 400 quilômetros de pistas, principalmente em um segmento crítico da BR-381 [em Minas Gerais], que ficou conhecida como a rodovia da morte", avaliou Tarcísio Freitas.


Sobre a concessão
O leilão da BR-381/262/MG/ES contará com critério híbrido, através de uma disputa por menor tarifa com deságio limitado a cerca de 15%, seguido de maior valor de outorga como critério de desempate.

Entre as principais obras estão 402 quilômetros de duplicação, 228 quilômetros de faixas adicionais, 131 quilômetros de vias marginais, 130 retornos, 125 correções de traçado, 40 passarelas, pelo menos dois pontos de parada e descanso para profissionais do transporte rodoviário, além do contorno do município de Manhuaçu (MG), inclusive com a implantação de um túnel.


Também estão previstas uma série de inovações na concessão dos trechos rodoviários. Destaque para o desconto de usuário frequente, para motoristas que trafegam diariamente entre municípios vizinhos, e o desconto de 5% para veículos que utilizam qualquer sistema automático de pagamento. Além disso, motos ficarão isentas de pagamento.


Entretanto, todos os investimentos e inovações previstos para a BR-381/262/MG/ES terão um custo para os usuários. De acordo com o projeto, estão previstas a construção de 11 praças de pedágio (7 em Minas Gerais e 4 no Espirito Santo), localizadas nos municípios de Caeté (MG), João Monlevade (MG), Itabira (MG), Belo Oriente (MG), Periquito (MG), São Domingos do Prata (MG), Manhuaçu (MG), Martins Soares (ES), Ibatiba (ES), Venda Nova dos Imigrantes (ES) e Viana (MG).

Ainda segundo o Ministério da Infraestrutura, a concessão da BR-381/262/MG/ES beneficiará diretamente diferentes setores produtivos tanto de Minas Gerais como do Espírito Santo, como pecuária, agricultura, mineração e polos industriais e comerciais. Além disso, atenderá o Vale do Aço, importante região composta por siderúrgicas, contribuindo com o setor automobilístico. A pasta estima ainda que a concessão gere cerca de 110 mil empregos (diretos, indiretos e efeito-renda).


Postar um comentário

1 Comentários

  1. Triste é saber quem e antes de duplicar qualquer trecho, já iniciam cobranças. E ai da terão 30 anos para duplicar, ou seja, podem duplicar aproximadamente 17 km por ano. Quem não vai querer?

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.