IVECO A gente nao para

Mercado de implementos cresce 48% até julho

Coopercred Implementos

Segmentos que atendem ao agronegócio e construção civil são responsáveis por 77% do total de emplacamentos registrados de janeiro a julho de 2021

Impulsionado pelo agronegócio e pela construção civil, o mercado brasileiro de implementos rodoviários encerrou o mês de julho registrando novos números expressivos. A informação é confirmada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR).

“Os dois setores estão suportando nossa recuperação enquanto a economia retoma seu curso normal”, avalia José Carlos Spricigo, presidente da ANFIR.

De acordo com o balanço oficial da entidade, 91.943 implementos foram entregues em todo o país de janeiro a julho deste ano, crescimento de 48,65% em relação ao mesmo período de 2020, quando 61.850 unidades foram comercializadas.


Considerando cada segmento separadamente, nos sete meses do ano foram comercializados 53.301 reboques e semirreboques, crescimento de 57,06% em relação ao mesmo período de 2020, quando foram comercializadas 33.936 unidades. Segundo a ANFIR, os implementos pesados do tipo são Graneleiro, Canavieiro, Dolly, Transporte de Toras, Bau Frigorífico e Basculante se destacam em vendas para o agronegócio. Já construção civil, os semirreboques do tipo Tanque Carbono, Carrega Tudo e Carga Geral se destacam como os mais vendidos.

Já o segmento de carrocerias sobre chassi chegou ao fim de julho com um total de 38.642 unidades comercializadas, alta de 38,43% em relação a 2020, quando foram comercializadas 27.914 unidades. Destaque para a venda de Baús Frigoríficos para o agronegócio, além de Betoneiras e Basculantes para a construção civil.

“Agronegócio e construção civil são nossos maiores clientes e foram os primeiros setores da economia a mostrarem sinais de recuperação”, explica Spricigo. “Como um dos termômetros da economia, ao lado do papel ondulado e do caminhão, nosso setor tem refletido esse momento favorável aos negócios”, completa.

Confira na íntegra o balanço da ANFIR: CLIQUE AQUI


Postar um comentário

0 Comentários