Governo Bolsonaro conclui pavimentação da BR-230 no Pará

DNIT/Divulgação

Cerimônia marcou a conclusão das obras entre Itupiranga e Novo Repartimento

O Governo Federal concluiu neste mês, a pavimentação do último trecho paraense da BR-230/PA (Transamazônica), entre as cidades de Itupiranga e Novo Repartimento. Paradas desde 2013, as obras no último trecho de 102 quilômetros foram retomadas em 2019 pelas equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

A entrega do trecho rodoviário ocorreu na última sexta-feira, 18 de junho, em cerimônia que contou com a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e do diretor-geral do Departamento Nacional de Transportes (DNIT), general Santos Filho.

A conclusão da pavimentação da Transamazônica no estado do Pará faz parte do pacote de obras anunciado pelo MInfra para o segundo semestre deste ano e que acabou sendo concluída antecipadamente. Segundo a pasta, a obra de integração possibilitará a conexão do interior do Pará com os grandes centros e trará melhores condições para o escoamento da produção regional, como madeira e cacau, além de reduzir o tempo de viagem e do valor do frete. A expectativa é que revitalização da via beneficiará cerca de 500 mil pessoas no interior do Pará.

“Mais um trecho da Transamazônica está sendo entregue. Muita gente achava que não seria possível pavimentar, e talvez por isso a obra tenha sido abandonada e [antes de ser retomada pelo governo Bolsonaro] estava parada desde 2013. Mas não vamos parar aqui, vamos seguir em frente, fazer novos trechos e asfaltar a Transamazônica. Por aqui, vai passar a prosperidade”, assegurou o ministro Tarcísio na cerimônia. 

DNIT/Divulgação


Ponte sobre o Rio Xingu
Além da entrega do trecho rodoviário, o Governo Bolsonaro também assinou durante a cerimônia, uma ordem de serviço no valor de R$ 202 milhões para a construção de uma ponte sobre o Rio Xingu. A estimativa é de que 300 mil pessoas sejam beneficiadas com o empreendimento que eliminará mais uma travessia de balsas, trazendo mais economia, rapidez e segurança no percurso.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, a primeira etapa das obras consistirá na elaboração do projeto da ponte. O canal de navegação será de 28 metros, medida a partir do nível máximo do rio. O vão navegável terá 320 metros de largura e foi estabelecido para uma lâmina d’água de pelo menos seis metros em relação ao nível mínimo do rio.

Já a construção está prevista para começar em 2022, com prazo estimado de execução de dois anos. A obra será importante para a ligação das regiões Tapajós, Xingu e Carajás, além de passar por cidades como Santarém, Altamira e Marabá.

Ricardo Botelho/MInfra
Com informações: MInfra

Postar um comentário

0 Comentários