Vendas de caminhões seminovos crescem 26% no primeiro trimestre

Carboni/IVECO

Ritmo positivo do segmento de seminovos é confirmado pela Fenabrave

O mercado brasileiro de caminhões seminovos encerrou o primeiro trimestre de 2021 aquecido. O ritmo positivo é confirmado pelo relatório da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

De acordo com o balanço oficial da entidade, 92.119 caminhões foram comercializados de janeiro a março de 2021, crescimento de 26,02% em relação ao primeiro trimestre de 2020, quando foram comercializados 73.099 modelos.

Somente no mês de março, 34.300 caminhões seminovos foram vendidos em todo o Brasil, alta de 10,91% em relação a fevereiro, quando foram comercializadas 30.926 unidades, e crescimento de 51,13% em relação a março de 2020, quando o segmento comercializou 22.695 caminhões usados.


“Vale ressaltar que, em março do ano passado, os estoques de veículos novos estavam normalizados, mesmo com o início da pandemia do Coronavírus, em nosso País. Hoje, com estoques de veículos zero km comprometidos pela falta de componentes para a produção, os volumes de vendas de usados tendem a ser maiores do que eram em 2020. No entanto, apesar do saldo positivo, em março, já estamos sentindo os impactos do recrudescimento da pandemia e do aumento da alíquota do ICMS em São Paulo, pois houve redução do volume de vendas diárias dos veículos usados”, esclarece Assumpção Júnior, Presidente da FENABRAVE.

Os dados divulgados pela Fenabrave também apontam as seis marcas que se destacaram no mercado de usados no primeiro bimestre de 2021. São elas, a Mercedes-Benz que garantiu uma participação de 38,21% nos negócios seguida pela sua principal concorrente, a Volkswagen que alcançou uma participação de 21,38%, a Ford com 16,29%, a Scania com 9,05% de participação, seguida da sua concorrente sueca Volvo com 8,29% e a Iveco com 4,08% de participação nos negócios de usados.

Confira na íntegra os números da Fenabrave: CLIQUE AQUI

Postar um comentário

0 Comentários