Estrela das Estradas

Casas Scania


IVECO A gente nao para

FreteBras investe R$ 2,5 milhões para custear alimentação de caminhoneiros durante primeiro ano de pandemia

123rf

Até o final do ano, empresa deve investir um total de R$ 20 milhões em ações de suporte à categoria, como distribuição de refeições e máscaras

Com o objetivo de colaborar com o trabalho de caminhoneiros e minimizar os transtornos provocados pelo fechamento de estabelecimentos comerciais nas estradas brasileiras durante a pandemia, a FreteBras, maior plataforma online de transporte de cargas da América do Sul, investiu R$ 2,5 milhões no decorrer do último ano. Para dar continuidade ao trabalho de suporte, com distribuição de refeições, máscaras e outras ações, a empresa planeja investir mais R$ 20 milhões até o fim de 2021.

Ao todo, o aporte já permitiu a distribuição de 60 mil marmitas em grandes redes da estrada como Dom Pedro, Cupim, Trevo, Buffon, Tio Zico, Mahle e Caxuxa, que atendem caminhoneiros nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Ceará e Maranhão.

Além da distribuição de refeições, a Fretebras planeja distribuir 300 mil máscaras nos próximos meses, alcançando cerca de um terço dos caminhoneiros autônomos do Brasil. A decisão foi tomada após a empresa constatar em pesquisa que,  1 de cada 5 caminhoneiros foram diagnosticados ou acreditam já ter contraído a Covid-19. Na avaliação da plataforma, a distribuição deste material se faz ainda mais necessária para proteger os motoristas que são considerados trabalhadores essenciais, especialmente neste no momento de agravamento no número de casos.


“Começamos em abril do ano passado, distribuindo refeições nos postos da Polícia Rodoviária Federal, mas logo percebemos a necessidade de expandir para outros locais e impactar muito mais gente. No início da pandemia, recebemos diversos contatos de caminhoneiros relatando o sofrimento na estrada por causa de postos que não estavam servindo comida ou que estavam com serviços mais caros que o normal. Agora novamente estamos vendo esses problemas e não tem como não fazermos nada”, explica Bruno Hacad, Diretor de Operações da FreteBras.

Segundo Hacad, os caminhoneiros sempre encontraram dificuldades com a falta de infraestrutura das estradas brasileiras e muitos deles têm problemas para encontrar uma boa  oferta de refeições, duchas para banho, serviços de borracharia e local para dormir. “Trata-se de uma categoria que não parou e nem pode parar. Essa falta de suporte prejudica muito os profissionais que fazem o transporte de cargas. No decorrer do último ano, estivemos em 40 postos por mês para atender os caminhoneiros. Agora o nosso compromisso é expandir a atuação para 400 localidades até o final do ano”, finaliza.


Postar um comentário

0 Comentários