Publicidade

Defasagem do frete chega a 13,9%

Versão Jovem
A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) divulgou na última semana dados preocupantes e relevantes sobre o transporte rodoviário de cargas brasileiro. Destaque para um aumento de custos e consequentemente defasagem nos valores de frete.

De acordo com o levantamento da entidade, os custos do transporte rodoviário tiveram um ligeiro aumento em 2020. O Índice Nacional do Custo de Transporte de Carga (INCT) apurou uma alta de 9,43% para o transporte de cargas fracionadas ao longo do ano e de 7,15% para o transporte de cargas lotação.

As transportadoras ouvidas pela NTC&Logística também confirmaram uma alta de 9,5% nos custos da frota (depreciação, remuneração, IPVA, seguro do casco e manutenção). Já os custos com mão de obra se mantiveram estáveis em 2020, graças a flexibilização do dissídio salarial.

O cenário desafiador de 2020, imposto pela pandemia de Covid-19 (Coronavírus), também forçou diversas transportadoras do país a concederem descontos no valor do frete. Segundo a NTC&Logística, 30,8% das empresas ouvidas concederam um desconto médio de 7,9%. Outras companhias (41,4%), afirmaram que mantiveram os valores estáveis em 2020. Já 27,8% das transportadoras afirmaram que conseguiram elevar o valor do frete em cerca de 5,3%.


Ao contrário dos anos anteriores, pela primeira vez os gastos com combustíveis não pressionaram para cima os custos das empresas ouvidas. Em 2020, uma pequena redução acumulada de 2,8% foi registrada, fato justificado pela queda no preço do litro dos combustíveis no início da pandemia.

A combinação de todos estes fatores fez com que o frete no transporte rodoviário de cargas brasileiro encerra-se o ano de 2020 apresentando uma defasagem média de 13,9%, de acordo com a entidade.

Em relação ao futuro, 49% das empresas consultadas na pesquisa da NTC&Logística acreditam que o valor do frete seguirá estável. Além disso, 31% das companhias veem uma melhora no valor, enquanto 20% delas estimam piora ao longo de 2021.


Postar um comentário

0 Comentários