PRF flagra um mais caminhão adulterado utilizando numeração de chassi do Exército Brasileiro

Agência PRF/Divulgação
Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu um veículo, após identificar adulteração em seus elementos identificadores, durante fiscalização na BR-242, em Barreiras, na Região Oeste da Bahia.

Por volta das 11h50, de quarta-feira (09), policiais fiscalizavam em frente a unidade operacional policial (UOP), localizada no quilômetro 800 da BR 242 quando abordaram o veículo VW/31.130 CRC 6X4, com placas de Barreiras (BA). O caminhão era conduzido por um idoso, de 65 anos.

Ao realizar uma fiscalização minuciosa no veículo, os PRFs encontraram sinais de adulteração nos elementos identificadores como chassi, motor, etiquetas dos vidros. Consultando os sistemas, foi constatado que a identificação presente no veículo abordado corresponde a um caminhão do Batalhão Exército Brasileiro, sediada na cidade de Pindamonhangaba (SP), situação confirmada após contato com aquela unidade militar.


Após análise de identificação veicular, os PRFs descobriram se tratar na realidade de um veículo roubado em setembro/2016, conforme ocorrência registrada no município de Itaquaquecetuba (SP). Para não levantar suspeitas e ‘burlar’ fiscalizações, as placas originais foram trocadas por outras de um caminhão com características semelhantes.

O motorista relatou que é profissional do volante há 30 anos. Disse ainda que é apenas funcionário e que seguia com destino a Luís Eduardo Magalhães (BA). Um homem, de 49 anos, identificou-se como proprietário do veículo de carga e disse desconhecer às irregularidades apresentadas. Relatou ainda que adquiriu o caminhão há quatro meses, na cidade de Barreiras (BA) e pagou 180.000 reais.

Diante da situação, a ocorrência foi encaminhada para Polícia Civil em Barreiras, ficando o veículo à disposição da autoridade policial para perícia e demais tratativas.



Postar um comentário

2 Comentários

  1. Está cada vez mais difícil comprar veículos e vender também, a pilantragem está solta e pessoas inocentes infelizmente caem nessas armadilhas.

    ResponderExcluir
  2. Na empresa que trabalho aconteceu o mesmo, bateram em nosso veículo e proporam uma troca para cobrir os gastos pois o caminhão deles tinha danificado pouco e o nosso tinha dado pt. Anos depois disso, o motorista foi parado e o veículo apreendido com essas adulterações.
    Passaram por vistorias para transferência e não deram conta disso.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.