Polícia Civil de MG investiga queima de cegonheiras em possível disputa por fretes

Francyne Perácio/Inter TV
A Polícia Civil de Minas Gerais instaurou nesta semana, um inquérito para investigar a queima de quatro cegonheiras na noite desta terça-feira, 3 de novembro, nos municípios de Curvelo (MG) e Sete Lagoas (MG). A suspeita inicial é que de uma disputa pelos fretes de carros tenha motivado os atentados.

Na última terça, as quatro carretas saíram do município de Igarapé (MG), com destino as cidades de Salvador (BA), Barreiras (BA), Recife (PE) e Aracaju (SE), e pararam em Curvelo e Sete Lagoas para passar a noite.  

Na BR-135, em Curvelo, três delas que estavam estacionadas, em um posto de gasolina, foram incendiadas. Segundo relatos dos motoristas que conseguiram salvar dois cavalos mecânicos, eles foram acordados com um barulho parecido com o estouro de um coquetel molotov. 


A quarta cegonheira queimada também se encontrava em um posto de combustíveis, localizado às margens da BR-040 em Sete Lagoas. O motorista também relatou que descansava no momento do ataque e que viu dois homens correndo logo em seguida. Em ambas as ocorrências ninguém se feriu, mas todos os carros foram queimados.

Em nota, a SADA Transportes informou que está acompanhando o andamento das investigações e que contribui com as autoridades para a apuração dos incêndios. O prejuízo financeiro não foi informado pela empresa.

Suspeitos detidos
Já nesta quinta-feira, 5 de novembro, a Polícia Civil de Minas Gerais informou prendeu duas pessoas envolvidas nos incêndios que destruíram as quatro cegonheiras, na Região Central de Minas Gerais. Os dois suspeitos foram detidos após uma extensa varredura pelas rodovias dos estados.

Segundo as investigações da corporação, a ordem para os ataques partiu de uma facção de São Paulo, confirmando assim a tese de incêndios criminosos.

Com informações: G1

Postar um comentário

0 Comentários