Publicidade

Facilidade para aquisição de caminhão por consórcio estimula caminhoneiros brasileiros

IVECO/Divulgação
Essencial para a recuperação e desenvolvimento do país, o setor de transporte é também responsável por uma contribuição significativa na geração de empregos. Segundo dados da Confederação Nacional de Transportes (CNT), em julho deste ano, o transporte rodoviário de cargas registrou saldo positivo, com 2.819 novas vagas  no mês. Se por um lado, a pandemia do coronavírus provocou retração, de outro impulsionou milhares de brasileiros a empreender. Este é o caso de Crisósomo Basílio da Silva, o seu Basílio, de Campinas, São Paulo. Motorista aposentado, tirou do papel uma ideia antiga: abrir o seu próprio negócio.

A CBTS Transportes se tornou realidade no primeiro trimestre deste ano. A contemplação de uma carta de consórcio viabilizou a abertura da empresa e trouxe mais independência ao experiente profissional, acostumado com a dinâmica do transporte rodoviário de cargas. “Faz muito tempo que eu trabalho na área, mas sempre para os outros. Agora, com o consórcio, eu trabalho para mim. Eu comprei a cota, nem estava esperando e, de repente, aconteceu. Foi rápido o sorteio, não sei se foi sorte ou destino”, brinca.


Basílio, que é cliente do Consórcio IVECO, conta que esta é a sua primeira experiência com a modalidade – uma alternativa viável para a aquisição de um bem. Sem juros, sem entrada, sem burocracia e com parcelas que cabem no bolso, o consórcio se adapta a qualquer realidade. Para comprar o seu caminhão, ele havia economizado para a entrada; com a carta de crédito em mãos não foi necessário se descapitalizar. “Nunca tinha feito um consórcio, para mim foi um bom negócio. Estou pensando em comprar uma nova cota para  aumentar a frota e quem sabe conseguir colocar os meus filhos para trabalhar”, explica.

Para Mauro Andrade, gerente comercial do Consórcio IVECO, perfis como o do seu Basílio são cada vez mais comuns. “Temos percebido um aumento na procura do consórcio de pesados por pessoas que desejam abrir um negócio, seja no frete urbano, serviço de vans ou transporte de cargas. São pessoas que já possuem experiência no ramo e, pela facilidade que o consórcio oferece, se planejam para colocar a empresa em operação assim que são contemplados”, finaliza.

FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários