Startup Pega Carga completará três anos com modelo de negócios sem intermediários e 40 mil usuários ativos

Pega Carga/Divulgação
A startup Pega Carga está próxima de comemorar três anos de mercado e a empresa atribui seu sucesso a uma estratégia de mercado muito diferente das demais empresas do setor de frete. Desde 2017, a equipe do aplicativo, que leva o mesmo nome da marca, entendeu como a intermediação no setor de transporte de cargas era delicada, problemática e levava prejuízo aos envolvidos. 

A prática causava perdas às transportadoras e caminhoneiros autônomos. E foi justamente esse o mote para que a empresa investisse na ligação direta entre caminhoneiros e empresas de transporte com mais eficiência e transparência. 

“Os aplicativos estão cada vez mais presentes e são mais utilizados nas empresas e em caminhoneiros autônomos, e esses apps buscam ganhar escala, aumentar o número de usuários, uma vez que eles entregam soluções cada vez melhores e mais dinâmicas para esses usuários e também aumentar a gama de  serviços prestados”, afirma Bernardo Lage, porta-voz do Pega Carga.

A medida deu certo e o aplicativo brasileiro chegou aos atuais 40 mil usuários ativos e passou a ser reconhecido no setor por facilitar a contratação do serviço de frete por não intermediar as partes (motorista e transportadora). A inovação também evita o chamado leilão reverso do frete. O Pega Carga apenas faz a ponte entre ambos e por meio do compartilhamento de informações e geolocalização permitindo a avaliação entre as partes, itens estes fundamentais para a contratação rápida e segura de um transporte de alto valor agregado.


Utilidade em meio a pandemia
A empresa confirma que alguns setores da cadeia logística sentiram o baque com a queda de demanda dos serviços de frete, mas que seguem utilizando diariamente o app que facilita a contratação de serviços e atenuar questões primárias na preocupação com o contágio.

“O aplicativo facilita a contratação do serviço de frete por conectar motoristas e transportadoras à distância, sem contato humano ou aglomerações, o que reduz sensivelmente a disseminação da COVID-19. Com compartilhamento de informações confiáveis para a contratação rápida e segura de um transporte de alto valor agregado é possível iniciar o frete com mais segurança e rentabilidade para todos”, explica Bernardo Lage.
Bernardo Lage
FONTE: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários