Air Liquide aposta em rodotrem para reduzir custos e ampliar a capacidade operacional

Divulgação
Com o objetivo de reduzir custos e ampliar significativamente a capacidade operacional, a Air Liquide Brasil, líder mundial em gases, tecnologias e serviços para a indústria e saúde, passou a contar com uma inédita combinação de veículo de carga (CVC) na frota, um rodotrem de 30 metros com capacidade para transportar até 660 cilindros.

Segundo Wesley Silva, Diretor Comercial para as áreas Industrial e Medicinal, o projeto do rodotrem concretiza o objetivo da Air Liquide Brasil de agregar mais eficiência à sua cadeia logística e ao atendimento a seus clientes. "A iniciativa de desenvolver um novo modelo de carreta surgiu diante da necessidade de otimizar nossa malha logística sem perder em capacidade. Consequentemente, nossos clientes passam a contar com uma maior disponibilidade de estoque, a partir de nossas filiais, e melhores prazos no atendimento às suas demandas", explica.

Inicialmente, o primeiro rodotrem da Air Liquide Brasil atuará no transporte de cilindros de gases (oxigênio industrial e medicinal, nitrogênio, argônio, ATAL - mistura gasosa para as indústrias siderúrgica e de solda, gás carbônico) entre as filiais da empresa nas regiões Norte e Nordeste. A expectativa é de que, em até um ano, a frota de rodotrens seja ampliada para mais veículos, para atender a todo o país.

O inédito rodotrem também vai de encontro com outra meta da empresa, reduzir em até 30% a emissão de carbono até 2025, tendo como base os níveis registrados em 2015. A Air Liquide Brasil estima que o uso da carreta deve reduzir anualmente em até 36 mil quilos a emissão de gás carbônico (CO2) nas operações logísticas da empresa, já que o veículo vai absorver as viagens que precisariam ser feitas mais vezes e por outros veículos.


E para garantir a máxima segurança operacional, o novo conjunto de 30 metros da Air Liquide Brasil recebeu uma série de dispositivos de segurança, dentre eles destacam-se:

Sensor de fadiga/ "câmera amiga": Monitora a atenção e concentração do motorista durante a viagem, identificando também possíveis sinais de fadiga. Nesse caso, o dispositivo emite alertas que orientam o condutor a retomar a atenção e, persistindo os indícios de cansaço, a parar e descansar. Recurso indispensável considerando que, em veículos do porte do rodotrem, a velocidade é menor e, consequentemente, aumenta a probabilidade de sonolência ou fadiga durante o percurso.

Terceiro espelho frontal: Um espelho adicional acoplado na cabine do motorista, para melhor visualização de pedestres, motociclistas ou veículos de menor porte quando parado em um semáforo;

Proteção anticiclista: Dispositivo colocado junto aos eixos da carreta e que repele o ciclista, evitando que seja "absorvido" pelas rodas em caso de acidente;

Identificações de ponto cego: Adesivos que alertam os motoristas que trafegam próximos à carreta de que, a partir daquele ponto, o condutor do rodotrem não o enxerga. Dessa forma, o motorista pode se posicionar melhor em relação ao veículo;

Telemetria 24 Horas: Monitoramento de todo o percurso com foco em mitigação de riscos, identificando, por exemplo, se o veículo está para entrar em uma via considerada perigosa.

TEXTO: Lucas Duarte

Postar um comentário

0 Comentários