header ads


Ministro da Infraestrutura promete acabar com postos fiscais em rodovias

Durante seminário virtual com investidores do banco Santander na última segunda-feira, 25 de maio, o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, prometeu acabar com os postos fiscais nas rodovias de todo o país. Na ocasião, o Ministro já havia defendido o fim da pesagem por eixo.


Segundo Freitas, uma das medidas que vai contribuir para o fim dos postos fiscais é o Documento Eletrônico de Transporte (DT-e). Em testes no Espirito Santo, desde maio de 2019, a solução promete simplificar procedimentos administrativos do transporte rodoviário de cargas, substituindo vários documentos em papel por um único documento eletrônico que reúna todas as informações necessárias à viagem.



“Queremos modernizar todo o sistema de transporte. Nosso projeto é substituir vários documentos de papel por um único, eletrônico, reunindo as informações sobre o que está sendo transportado, para onde, por quem, e se a questão fiscal está ok”, comentou o ministro, acrescentando que, em média, um caminhoneiro perde seis horas com procedimentos burocráticos, o que encarece os custos de transporte.

“A gente vai acabar com os postos fiscais nas rodovias, pois eles são um atraso. Parece um sonho, mas não é. Já estamos testando esta tecnologia no Espírito Santo e vamos fazer a alteração na legislação para, em pouco tempo, implantar isto no Brasil inteiro. E, junto, virá a pesagem em movimento, com o uso de sensores instalados no pavimento. Esta pesagem tem que ser por peso bruto, não dá para fazê-la por eixo. Com isso, acabaremos com o negócio da balança – que só vai ser necessária caso o caminhão ultrapasse o peso bruto total e seja necessário uma pesagem mais apurada”, frisou o ministro.

TEXTO: Lucas Duarte
Com informações: Agência Brasil
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

1 Comentários

  1. acabar com os postos fiscais ? quero ver o sindicato dos funcionarios publicos deixar ....

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.