PRF/SP recupera 3 caminhões roubados, carga milionária e prende 8 infratores

Agência PRF/Divulgação
Nesta segunda-feira (11), a Polícia Rodoviária Federal em São Paulo registrou três ocorrências de crimes relacionados a roubo de cargas e veículos. As atividades operacionais, realizadas em Registro, Pindamonhangaba e São Paulo são reflexo do novo modelo de policiamento adotado nacionalmente, com foco em ações de inteligência, especialização do efetivo e integração entre as forças de segurança pública.

R$ 3 MILHÕES EM MEDICAMENTOS
Em Pindamonhangaba, a PRF foi notificada sobre o roubo de um caminhão, que transportava medicamentos oncológicos, utilizados para tratamento de câncer. Em patrulhamento ostensivo, o veículo foi encontrado abandonado, em uma estrada vicinal. A carga, avaliada em mais de R$ 3 milhões foi totalmente recuperada e entregue à transportadora. O motorista vítima do assalto foi localizado horas depois, no município de Santa Isabel.

2 CAMINHÕES RECUPERADOS E QUADRILHA PRESA
Na cidade de Registro, em atividade de fiscalização na Rodovia Régis Bittencourt, que contou com o apoio operacional da Polícia Civil de São Paulo (DIG-Registro), policiais deram ordem de parada a um comboio, composto por dois caminhões e um veículo de passeio, que seguiam na pista sentido São Paulo/SP. Durante os procedimentos preliminares foram constatadas as primeiras irregularidades.

Os agentes verificaram que ambos os caminhões apresentavam adulteração em sinais identificadores (placa, número de chassi, dentre outros). Os veículos, provenientes de atividade criminal, foram encaminhados à perícia da Polícia Civil para identificação. Durante o procedimento de identificação pessoal, um dos integrantes apresentou documento pessoal com características de falsificação, confirmada em análise técnica de documentoscopia. O infrator que apresentou documento falso, possuía contra si mandado de prisão em aberto por condenação em crime de roubo.

A quadrilha, composta por 6 integrantes, foi encaminhada à Delegacia de Investigações Gerais de Registro, para registro dos autos por infração aos crimes de associação criminosa, receptação, adulteração de sinal identificador e uso de documento falso.


BLOQUEADOR DE SINAL
A experiência policial foi diferencial para o flagrante realizado em Pirituba/SP. O comportamento suspeito de dois homens que estavam em um veículo guincho, estacionado próximo a uma carreta desatrelada no bairro de Pirituba, em São Paulo, demandou abordagem para verificação. Junto aos homens, foi encontrado um dispositivo bloqueador de sinal, conhecido como Jammer ou “Capetinha”, utilizado para dificultar o rastreamento via satélite de veículos. Em pesquisa aos sistemas de ocorrência, foi constatado que a carreta ali estacionada era produto de roubo, sendo encaminhada à Polícia Civil para restituição aos proprietários.

NOVA FORMA DE ATUAÇÃO
Desde o início do mês de Maio, a Polícia Rodoviária Federal tem operado com uma nova doutrina, baseada em inteligência policial, especialização do efetivo e integração com as demais forças de segurança pública, gerando resultados expressivos.

Em pouco mais de 10 dias de atuação, somente na área de roubo de carga e veículos, foram registradas 10 ocorrências, com 9 caminhões recuperados e 21 pessoas detidas. A prisão de quadrilhas especializadas, além de aumentar a sensação de segurança à sociedade, demonstra a efetividade das novas técnicas e doutrinas implementadas, bem como orientam um novo rumo para as ações policiais nas rodovias federais do Brasil.
Agência PRF/Divulgação
FONTE: Agência PRF

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Parabéns aos policiais envolvidos,lamentável e que a polícia prende e a justiça solta,ainda mais se chegar ao JUMAR MENDES,vão ser soltos logo,esse cara e uma vergonha pra justiça,todos os presos em flagrante foram soltos com a ajuda dele,só pensa no lucro que ele vai ter com isso.😡😡😡🤬🤬🤬🤬

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.