Tanqueiros de Minas Gerais anunciam greve por redução de ICMS sobre o diesel

O Sindicato dos Transportadores de Combustível e Derivados do Petróleo de Minas Gerais (Sindtanque-MG) marcou para a próxima sexta-feira, 6 de março, uma paralisação da categoria em prol de uma redução na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo diesel. Atualmente, Minas Gerais conta com uma alíquota de 15% sobre o combustível.

De acordo com a entidade, a paralisação dos tanqueiros foi decidida em reunião realizada na última sexta-feira (28). Somente em Minas Gerais, oito mil caminhões são responsáveis pelo transporte de combustível.

"Os trabalhadores de Minas Gerais pagam 15%, sendo que os outros estados pagam 12%. Com esse valor, temos que pagar para trabalhar", destacou Irani Gomes, presidente do Sindtanque-MG. "Não queremos redução, queremos é que volte ao que era antes do aumento. Hoje, o diesel está muito caro, e o que mais onera é o ICMS", completou, lembrando que a alíquota foi reajustada de 12% para 15% em 2011.


Segundo Gomes, desde então, foram inúmeras reuniões e discussões na tentativa de retomar a cobrança no patamar anterior. "A gente vem numa discussão com o governo desde 2011, quando a alíquota do diesel foi elevada de 12% para 15%. De lá para cá, foram várias reuniões e promessas, mas nenhuma medida foi tomada. Enquanto isso, a categoria vem sofrendo com essa alíquota do diesel, que é a mais cara da região Sudeste", disse.

Ainda segundo a entidade, durante uma audiência pública, o governador do Estado, Romeu Zema (Novo), que teria assumido o compromisso de dar atenção às demandas do setor, "mas, até agora, nada foi feito".

"Vamos aguardar até quinta-feira para ver se o governo chama para uma discussão. Se isso não acontecer, à meia-noite vamos paralisar o abastecimento de postos e aeroportos no Estado todo, por tempo indeterminado", garantiu Irani Gomes.

Até o momento o Governo de Minas Gerais não se posicionou oficialmente sobre a possibilidade de paralisação no transporte de combustíveis no estado.

TEXTO: Lucas Duarte
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

0 Comentários