header ads


Deputado apresenta proposta que exige curso de formação específica para motorista profissional

José Mário Dias/Blog da IVECO
Tramita em caráter conclusivo na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 5817/19 de autoria do Deputado Federal, Gelson Azevedo (PL/RJ).  

Além de inserir dispositivos no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a proposta prevê a exigência da realização de um curso de formação específico para o exercício da atividade de motorista profissional no transporte rodoviário de passageiros ou de cargas.  

“Como já existe uma regulamentação própria quanto à profissão de motorista profissional, nada mais condizente do que transportar essa condição para o Código de Trânsito”, disse o autor, deputado Gelson Azevedo (PL-RJ), em referência à Lei 13.103/15.


Além da exigência de curso para motoristas profissionais, a proposta também prevê o desenvolvimento de um programa pedagógico a ser implementado por meio de parceria do Ministério da Educação com o Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Segundo o Deputado, o programa terá como principal objetivo proporcionar consciência de cidadania quanto às regras de trânsito.

Após a conclusão da tramitação, o Projeto de Lei 5817/19 será analisado pelas comissões de Educação; Trabalho, de Administração e Serviço Público; Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Confira na íntegra o PL 5817/19: CLIQUE AQUI

TEXTO: Lucas Duarte
Com informações: Agência Câmara Notícias
Caminhões e Carretas

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Primeiro teria que rever salários de motoristas

    ResponderExcluir
  2. Acho que o deputado,ao inves de buscar mais despesas aos ja profissionais em exercicio, deveria investir os "recursos a seremos gastos com está nova leí" em melhorias nas rodovias Gerais da nossa República, ou ate mesmo colocando educação viaria aos nossos estudantes! Pensé melhor Senhor deputado como váis a gastar nosso dinheiro PUBLICO!!!!

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, desrespeito ou ofensas não serão toleradas nos comentários.