Qual a diferença nos riscos das interseções?

Rubem Penteado de Melo
É comum nas rodovias, especialmente nas rurais, a existência de interseções em ângulo como nas ilustrações acima. Mas poucos percebem a diferença enorme nos riscos entre uma aproximação pela esquerda e outra com aproximação pela direita (pelo lado do carona).

Caminhão possui campo de visão extremamente reduzido nas aproximações em ângulo pela direita.
Rubem Penteado de Melo
As barreiras visuais na cabine impedem a observação da via pela direita e podem causar acidentes. Se uma interseção pela direita for inevitável, é necessário instruir o condutor, para parar e "dobrar" um pouco com o cavalo de modo a manter-se perpendicular a via que está adentrando ou cruzando, aumentando o seu campo visual de modo a conseguir enxergar os dois lados do trânsito.
Rubem Penteado de Melo
Em passagem de nível podemos ter o mesmo problema. Observem o ângulo de aproximação do bitrem no acidente da figura ao lado.

Muitas vezes a restrição no campo visual à direita é também a razão dos tombamentos dos conjuntos quando passam por sobre o barranco nas laterais das curvas: além da questão da "Área de Varredura" (sobre-largura necessária para fazer a manobra) dos conjuntos mais longos, o motorista literalmente "está cego" porque o retrovisor da direita está voltado para a cabine do veículo, impedindo-o de observar a trajetória do rodado da carreta.
Rubem Penteado de Melo
Cuidados redobrados com esses "detalhes".

ARTIGO: Eng. Rubem Penteado de Melo - www.trs.eng.br

Postar um comentário

0 Comentários