Europa: Nova Geração Scania oferece 24 cabines diferentes, para todos os tipos de aplicações

Com a recente introdução da Série L, a nova geração de caminhões Scania passar a oferecer ao mercado europeu 24 alternativas diferentes de cabines, que vão desde as P até as poderosas S, para operações de longa distância. A gama totalmente nova de cabines é um dos destaques da montadora sueca no IAA 2018 (67º Salão Internacional de Veículos Comerciais), feira que começou no último dia 20 e será realizada em Hannover até esta quinta-feira (27).

LEIA: Scania apresenta inédita Série L com rebaixamento dianteiro automático 

De acordo com a Scania, ao levar em consideração a receptividade da imprensa, clientes e fabricantes de carrocerias, a nova série L já é um sucesso. “Pode se dizer que a série L é a cereja do bolo na nossa linha urbana,” afirma Maria Johansson, diretora de Produto Urbano em Caminhões na divisão global da Scania. “A série L dispõe de características essenciais para operações em ambiente urbano, com tráfego intenso, numa realidade em que se divide a estrada com diversos usuários.”
Equipada com um sistema de inclinação automática que reduz em até 56 centímetros a distância entre o solo e o piso da cabine, passando de 80 centímetros para apenas 24 centímetros, a Série L garante um redução significativa da fadiga dos profissionais que tem de subir e descer com frequência da cabine ao longo de cada dia de trabalho.
Segundo Johansson, há um grande interesse de clientes em mudar para veículos de acesso rebaixado, pela crescente importância atribuída à sustentabilidade, sobretudo pelos órgãos de gestão e os organismos governamentais, nas principais cidades.
“Veículos modernos são fundamentais para atender as necessidades de demanda das cidades”, comenta Maria Johansson. “Nas ruas de Londres, por exemplo, um caminhão de coleta de lixo com acesso rebaixado, janela de segurança (Scania City Safe) na porta do passageiro, motor silencioso e movido a biometano, são características muito mais desejáveis do que qualquer veículo tradicional”, salienta. “As zonas com maiores restrições em termos de ruído, de regras sobre controle de emissões e interação com outros tipos de tráfego, fazem com que opções tradicionais de caminhões para tal aplicação não sejam a melhor alternativa”, completa.
Com uma cabine que posiciona o motorista praticamente ao nível da estrada, os caminhões da série L são ideais para ambientes urbanos. Além do motorista poder desfrutar da melhor ergonomia, está também mais próximo do nível dos outros elementos mais vulneráveis da estrada, permitindo assim visualizá-los melhor.
“Ser sustentável é muito mais do que ‘simplesmente’ reduzir as emissões de combustível fóssil ao mínimo,” acrescenta Johansson. “Desenvolver caminhões que atraem os condutores e os ajudam a fazer um excelente trabalho, enquanto diminuem o risco de consequências negativas para os outros seres humanos é um bom exemplo de como nós, na Scania, continuamos a fazer a diferença.”

Caminhão a gás natural rebaixado
Na IAA 2018, a Scania apresentou o caminhão a gás liquefeito (GNL) de acesso rebaixado para o transporte de longas distâncias e mercadorias de grande volume. O veículo em questão, um 4x2 de teto alto, com 3.750mm de distância entre-eixos e o novo motor movido a GNV de 13 litros e 410 cv, é de fato o que melhor se adapta ao transporte de mercadorias volumosas. Está equipado com tanques que permitem um alcance de até 700 km com biogás.
“Esse veículo, que pode transportar até 40 toneladas, é um bom exemplo daquilo que pode ser feito no âmbito do sistema modular Scania”, diz Maria Johansson. “Os caminhões a gás devem dispor de pelo menos 200 mm de espaço livre desde o solo aos tanques, enquanto um veículo de transporte de mercadorias volumosas tem, ao mesmo tempo, de ser baixo. Este é um bom exemplo de como é possível cumprir com os dois critérios, graças ao sistema flexível de produção da Scania.”

TEXTO: Lucas Duarte
Com Informações: Scania
Caminhões e Carretas 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário