Polícia Federal investigará manobra imprudente de cooperado da Coopercarga

A Policia Federal (PF) revelou na última sexta-feira (27) a abertura de um inquérito para investigar a manobra imprudente flagrada em um trecho da BR-230 no município de João Pessoa, Paraíba. A informação foi confirmada por uma nota oficial divulgada pela própria corporação. 
O flagrante se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais e aplicativos de troca de mensagem após a divulgação de um vídeo. Além da imprudência é possível notar nas imagens que a manobra danificou a divisão das pistas, espalhando diversas pedras em algumas faixas. Verifica-se ainda que o veículo estava atrelado a uma carreta da Coopercarga. 
Diante da grande repercussão, a própria Coopercarga já havia se pronunciado por meio de uma nota, repudiando veementemente a conduta flagrada no vídeo e destacando que a manobra realizada pelo cooperado não condiz com as premissas e diretrizes de segurança preconizadas pela cooperativa.

LEIA: 
Coopercarga se pronuncia sobre manobra imprudente de cooperado 
Já a nota da Polícia Federal (PF) releva que após a corporação tomar ciência dos fatos uma equipe foi enviada ao local para realizar exame pericial no local, e constou-se avaria na estrutura física do canteiro central, especialmente nas guias instaladas nos dois sentidos da rodovia, com extensão aproximada de sete metros.
Diante das imagens e das informações obtidas após a perícia, a PF instaurou um inquérito policial para comprovar a materialidade e esclarecer a autoria do crime de dano ao patrimônio público, com pena de até três anos de detenção, além de multa. Confira a íntegra da nota da PF:

CRIME DE DANO AO PATRIMÔNIO PÚBLICO
A Polícia Federal informa que no dia 25 de abril de 2018, quarta-feira, ao tomar conhecimento da manobra indevida realizada por motorista de caminhão no km 18 da BR-230, deslocou equipe para realizar exame pericial no local, constatando-se avaria na estrutura física do canteiro central, especialmente nas guias instaladas nos dois sentidos da rodovia, com extensão aproximada de sete metros.
Em paralelo, foi instaurado inquérito policial para comprovar a materialidade e esclarecer a autoria do crime de dano ao patrimônio público, com pena de até três anos de detenção, além de multa.

TEXTO: Lucas Duarte
Blog Caminhões e Carretas 
Compartilhe no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Não vou tirar a responsabilidade.mas crime pra investigar é oque o mts tá fazendo.os índios cobrando pedágio e ninguém levanta a bunda da cadeira pra investigar

    ResponderExcluir