Facchini

Randon New R

Tanqueiros de Minas Gerais preparam greve contra cobrança de IPVA em janeiro

Caminhões tanque estacionados lado a lado durante paralisação da categoria
Sindtanque-MG/Divulgação

Cobrança do IPVA 2024 foi antecipada em dois meses; caso não haja acordo com o governo, Sindtanque-MG prevê início da paralisação no dia 1º de janeiro

Google News
O Sindicato dos Transportadores de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque-MG), revelou nesta semana, uma possível paralisação da categoria a partir do dia 1º janeiro de 2024. O movimento foi decidido após o Governo do Estado antecipar em dois meses a cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Desde 2022, a cobrança vinha sendo feito em março.


De acordo com o presidente do Sindtanque-MG, Irani Gomes, a insatisfação entre os transportadores é geral. “Janeiro é um mês de muitos gastos, tanto para os transportadores quanto para as famílias. Cobrar o IPVA logo no início do ano é uma maldade do governo Zema”, afirma.   

Na tentativa de reverter a decisão do governo mineiro e postergar a cobrança do imposto, o Sintanque-MG solicitou uma reunião com a Secretaria de Estado da Fazenda de Minas Gerais (SEF/MG) ainda neste mês de dezembro. Caso não haja nenhum acordo e flexibilização da data de vencimento do IPVA 2024, a paralisação poderá ser mantida.


Vamos tentar conversar com o governo antes de janeiro ainda. E se não houver nada, pode, sim, deflagrar numa paralisação geral da distribuição de combustível no Estado. Se o governo não fizer nada, nada, para amenizar, pode haver uma paralisação a partir de primeiro de janeiro”, disse Irani Gomes.

A expectativa do governo de Minas Gerais é arrecadar R$ 10,6 bilhões com o imposto em 2024, ou seja, R$ 500 milhões a mais em relação ao montante obtido com o IPVA de 2023.



NOTÍCIA ANTERIOR PRÓXIMA NOTÍCIA