Vitória de Lula instaura o caos nas rodovias brasileiras

Reprodução/Twitter

Protestos de caminhoneiros são registrados em 11 estados e no Distrito Federal, segundo a PRF; maior número de pontos de bloqueio estão em Santa Catarina

Google News
Após quase quatro anos sem o registro de greve de caminhoneiros, o Brasil amanheceu nesta segunda-feira, 31 de outubro, revivendo cenas que marcaram a última década e o até então último governo do Partido dos Trabalhadores (PT). Caminhoneiros, agricultores e apoiadores do atual governo vem se unindo e deflagrando uma série protestos e bloqueios em rodovias federais desde o anúncio do resultados das eleições presidenciais. 

De acordo com o balanço mais recente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), atos estão sendo registrados em 11 estados brasileiros e no Distrito Federal, sendo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo, Goiás, Minas Gerais e Pará.


O maior número de bloqueios é registrado no estado de Santa Catarina. Às 11h27 da manhã de hoje (31), a corporação informou por meio das redes sociais, a existência de 23 pontos de manifestações nas rodovias federais que cortam o estado catarinense, sendo, onze na BR-101, cinco na BR-470, três na BR-280, três na BR-116 e outro na BR-153.

A PRF segue atenta, monitorando todas as ocorrências e com efetivo empregado na tarefa de garantir fluxo viário normal a todos os cidadãos”, afirma em nota a corporação.

A expectativa é de que um eventual pronunciamento do presidente Jair Messias Bolsonaro ainda nesta segunda-feira, defina os rumos das manifestações. 


Postar um comentário

1 Comentários

  1. O editor do site devia tomar vergonha na cara com uma manchete sensacionalista dessas.O caos foi instaurado não pela vitória do Lula,e sim por extremistas bolsonaristas que não aceitam o resultado das urnas e fazem baderna e arruaças Brasil afora impedindo o direito de ir e vir da população.

    ResponderExcluir

Nunca publique suas informações pessoais, como por exemplo, números de telefone, endereço, currículo etc. Propagandas, palavras de baixo calão, desrespeito ou ofensas não serão toleradas e autorizadas nos comentários.