PRF e Rota do Oeste encontram irregularidades nos freios de 27% dos caminhões fiscalizados

PRF/Divulgação

Ao todo, 124 caminhões foram fiscalizados em três ações na BR-364/MT; isolamento dos freios está entre as irregularidades mais flagradas

Google News
Com o objetivo de elevar a segurança rodoviária por meio da conscientização sobre a importância da manutenção de veículos de carga, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) promoveu ao longo do mês agosto, três operações de fiscalização na BR-364/MT. As ações se concentraram no trecho que corta a região de Campo Verde (MT) e contaram com o apoio da Concessionária Rota do Oeste, responsável pela administração da rodovia.

De acordo com a corporação, o local foi escolhido de forma estratégica por anteceder a Serra de São Vicente (sentido Cuiabá), que tem uma geometria sinuosa, com pontos de descida, e a segurança viária está diretamente relacionada às condições mecânicas dos veículos.


Segundo o balanço oficial da PRF, dos 124 caminhões inspecionados durante as fiscalizações, 34 apresentaram deficiência no sistema de frenagem. Para o Inspetor da PRF, Márcio Júnior, o número não surpreende, uma vez que faz parte de uma realidade nacional a falta de manutenção veicular. O inspetor explica que a escolha estratégica do ponto de atuação tem relação ainda com a quantidade de ocorrências registradas na Serra de São Vicente, principalmente por problema nos freios motivado pela ausência de manutenção ou mesmo pela prática de isolamento de um ou mais freios. O isolamento consiste na desabilitação do freio de um ou mais rodado.

As constatações da PRF também são reforçadas pelos dados da Rota do Oeste. De 1º de janeiro a 31 de julho de 2022, as equipes operacionais da Concessionária atenderam mais de 26 mil veículos com problemas mecânicos no trecho sob concessão da BR-163.


A gerente de Operações da Rota do Oeste, Bárbara Natane, explica que em média, a cada cinco minuto um veículo fica parado (e é atendido) no trecho sob por problemas mecânicos. “Se considerarmos somente a Serra de São Vicente, este ano, atendemos 1.306 casos, ou seja 5% do total, em pouco mais de 15 quilômetros de extensão. Se ampliarmos um pouco para os casos de acidentes, é expressivo o número de ocorrências em que as equipes constatam e registram a existência de freios isolados”.

A manutenção do veículo não é um capricho, é uma necessidade. Cansamos de ouvir histórias em locais de acidentes sobre o condutor saber que estava com problema no freio, mas decidiu arriscar e seguir viagem. Muitas vezes não chegam ao destino, ficam feridos, alguns morrem. A vida não tem preço. Então, o que pedimos é que verifiquem os freios, façam pelo menos a manutenção básica. Isso garante a segurança de todos”, finaliza Bárbara.


Postar um comentário

0 Comentários