Scania 65 anos

Indústria de implementos rodoviários entrega mais de 75 mil unidades no primeiro semestre de 2022

Renovação antecipada de frotas e Fenatran devem impulsionar as vendas no segundo semestre de 2022 - Foto| Metalesp/Divulgação

Pelo segundo mês consecutivo, setor superior a média mensal de emplacamentos; ANFIR prevê que 165 mil implementos rodoviários sejam vendidos no Brasil até o fim de 2022

Google News
A indústria brasileira de implementos rodoviários encerrou o primeiro semestre de 2022 apresentando sinais positivos de crescimento. A informação é confirmada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (ANFIR).

De acordo com o balanço oficial da entidade, 75.052 implementos rodoviários foram emplacados em todo o Brasil de janeiro a junho, leve recuo de apenas 2,28% em relação ao primeiro semestre de 2021, quando 76.801 exemplares foram entregues. Entretanto, somente no mês de junho, foram entregues 13.133 unidades, superando a média mensal do período que foi de 12.500 produtos.

"Estamos há dois meses consecutivos registrando volume de emplacamentos acima da média do período o que pode indicar a formação de uma curva positiva de crescimento", explica José Carlos Spricigo, presidente da ANFIR.


Considerando cada segmento separadamente, nos seis primeiros meses de 2022 foram comercializadas 34.818 carrocerias sobre chassi,  alta de 9,07% em relação ao mesmo período de 2021, quando foram comercializadas 31.922 unidades. 

Já o segmento de reboques e semirreboques chegou ao fim de junho com um total de 40.234 unidades comercializadas, queda de 10,35% em relação ao em relação ao mesmo período de 2021, quando foram comercializadas 44.879 unidades.


Previsão para o restante de 2022
A expectativa da ANFIR é de que a indústria brasileira de implementos rodoviários encerre 2022 com um total de 165 mil exemplares comercializados em todo o país, sendo, 80 mil Pesados e 85 mil Leves, superando assim o resultado obtido em 2021, quando foram vendidos 163 mil implementos rodoviários. 

Ainda segundo a entidade, dois importantes fatores devem impulsionar as vendas do segmento no segundo semestre deste ano. O primeiro deles é o processo de antecipação de renovações de frota de caminhões, que historicamente traz reflexos positivos às vendas de implementos rodoviários. Esse movimento deverá ocorrer principalmente devido as mudanças nas regras de emissões que entrarão em vigor a partir de janeiro de 2023, através do Proconve P8.


O segundo fator que deve impulsionar as vendas de implementos rodoviários no Brasil é a realização da Fenatran, evento que se consagra como um polo atrativo de negócios para o setor. 

"Com esses dois fatores a indústria terá condições de minimizar as eventuais perdas e manter um patamar de unidades emplacadas semelhante a do exercício anterior", conclui o presidente da ANFIR.

Postar um comentário

0 Comentários