Scania 65 anos

Tarifas de pedágios não terão reajustes nas rodovias estaduais de São Paulo neste ano

Divulgação

Decisão impede reajustes de até 11,73% nas tarifas; decisão é celebrada pelo transporte rodoviário de cargas

Google News
O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Logística e Transportes, anunciou nesta quinta-feira, 30 de junho, que as tarifas de pedágio não serão reajustadas neste ano. A medida se aplica apenas às rodovias estaduais de São Paulo, administradas por 18 concessionárias pertencentes ao Programa de Concessões Rodoviárias do Estado.

A decisão anula todos os reajustes que estavam previstos para entrar em vigor a partir desta sexta-feira, 1º de julho. De acordo acordo com a Secretaria, atualização seria de 10,72% (IGPM) a 11,73% (IPCA) – dependendo do indexador do contrato de concessão – para perdas inflacionárias ocorridas nos últimos 12 meses (de junho/2021 a maio/2022).

Segundo o governo paulista, a decisão acontece por causa da atual conjuntura econômica e do custo Brasil, com a alta desenfreada dos preços, em especial, de combustíveis. “Anunciei há pouco que não haverá reajuste de pedágio nas rodovias paulistas. Diante da alta desenfreada dos preços, principalmente dos combustíveis, é impensável onerar o bolso dos paulistas”, disse Rodrigo Garcia, Governador do Estado de São Paulo.


Preocupado com cenário econômico nacional ruim, que prejudica tanto nossa população, o Governo de SP tomou esta decisão. Mas vale lembrar que o Governo de SP não descumpre contrato e vai dialogar com todos os setores envolvidos, inclusive as concessionárias e não onerar ainda mais o orçamento estadual”, disse João Octaviano Machado Neto, secretário estadual de Logística e Transportes.

A decisão de não reajustar as tarifas de pedágio neste ano, foi comemorada pelas principais entidades do transporte rodoviário de cargas paulista. “O transporte rodoviário de cargas é o principal usuário das rodovias e responde por mais de metade da arrecadação das concessionárias das rodovias no Estado, sendo o pedágio hoje um dos mais importantes componentes dos custos do transporte, somente superado pelos custos do combustível e mão de obra”, comenta Carlos Panzan, presidente da FETCESP.


As transportadoras tiveram um aumento de 30% em seus custos devido ao combustível somente no primeiro semestre e seria impossível absorver mais um aumento tão representativo nos custos”, lembra Adriano Depentor, presidente do Conselho Superior e de Administração do SETCESP.

Reajustes evitados
Anhanguera (SP-330 – praça de Perus): Valor – R$ 10,60 / Com reajuste – R$ 11,80
Anhanguera (SP-330 – praça de Valinhos): Valor R$ 10,50 / Com reajuste – R$ 11,70
Bandeirantes (SP-348 – praça Caieiras): Valor R$ 10,60 / Com reajuste – R$ 11,80
Bandeirantes (SP-348- praça Sumaré): Valor R$ 9,30 / Com reajuste R$ – 10,40
Anchieta (SP-150 – praça Riacho Grande): Valor R$ 30,20 / Com reajuste – R$ 33,80
Imigrantes (SP-160 – praça Piratininga): Valor R$ 30,20 Com reajuste – R$ 33,80
Castello Branco (SP-280 – praça Osasco): Valor R$ 4,90 / Com reajuste – R$ R$ 5,40
Castello Branco (SP-280 – praça Barueri): Valor R$ 4,90 / Com reajuste – R$ 5,40
Ayrton Senna (SP-070 – Itaquaquecetuba): Valor R$ 4,20 / Com reajuste – R$ 4,70
Ayrton Senna (SP-070 – S.José dos Campos): Valor R$ 4,00 / Com reajuste – R$ 4,40
Rodoanel Oeste (todas as praças): Valor R$ 2,50 / Com reajuste – R$ 2,80
Rodoanel Sul (todas as praças): Valor R$ 3,90 / Com reajuste R$ 4,30
Rodoanel Leste (todas as praças): Valor R$ 2,90 / Com reajuste R$ 3,30
Rodovia dos Tamoios (SP-099 praça Jambeiro): Valor R$ 4,40 / Com reajuste R$ 4,90
Rodovia dos Tamoios (SP-099 praça Paraibuna): Valor R$ 8,50 / Com reajuste R$ 9,40


Postar um comentário

0 Comentários